Clique e assine a partir de 8,90/mês
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

Lula é um estrategista cínico…

…Mandou vazar para a imprensa que não comparecerá ao ato da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no dia 13 porque, segundo a Folha, “não poderia participar de um ato contra medidas do ajuste fiscal adotadas pela presidente Dilma Rousseff”. Isto depois de se reunir na terça-feira (3) com os organizadores da manifestação, incluindo militantes de CUT, MST […]

Por Felipe Moura Brasil - Atualizado em 31 jul 2020, 01h58 - Publicado em 5 mar 2015, 03h27
lula_acto_cut590

Ele promove a baderna, mas não tem nada com isso

…Mandou vazar para a imprensa que não comparecerá ao ato da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no dia 13 porque, segundo a Folha, “não poderia participar de um ato contra medidas do ajuste fiscal adotadas pela presidente Dilma Rousseff”.

Isto depois de se reunir na terça-feira (3) com os organizadores da manifestação, incluindo militantes de CUT, MST e UNE.

Se até os pelegos do PT protestam contra medidas do governo Dilma na antevéspera do ato nacional contra seu desgoverno, obviamente não é sem o incentivo ou o consentimento tácito de Lula, o rei dos pelegos, que outro dia mesmo na ABI convocou a militância às ruas. Nem Dilma deve ser otária o suficiente para acreditar no contrário.

Assim como Renan Calheiros, Lula não a perdoa por não se empenhar o suficiente para brecar as investigações da Operação Lava Jato. Assim como o PMDB, Lula não quer carregar o caixão de sua sucessora, mas não pode compactuar com o impeachment.

O ato da CUT é a cara de Lula: ao mesmo tempo contra e a favor do governo.

Continua após a publicidade

– Contra a mudança nas regras dos direitos trabalhistas;
– A favor (ou em suposta defesa) da Petrobras e da democracia.

“Apesar de vagas”, diz o Estadão sem lembrar o assalto do PT à estatal, “essas duas bandeiras serão a senha para que se entoe palavras de ordem contra o movimento que defende o impeachment da presidente” – assim como Lula e a CUT defenderam o de Collor em 1992.

Interlocutores do ex-presidente também vazaram para a imprensa o temor de que o ato engrosse a agenda de manifestações contra Dilma.

Mas a verdade é que Lula só teme a Lava Jato. Dilma, ele deixa sangrar, tentando apenas administrar o quanto.

Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Continua após a publicidade
Publicidade