Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil do PT liga narcotráfico a terror islâmico

Terroristas-do-grupo-nigeriano-Boko-Haram-sao-vistos-em-novo-video-divulgado-na-internet-size-598

Terroristas do grupo nigeriano Boko Haram

Um dia depois do meu artigo “As continentais e incontroladas fronteiras brasileiras“, no qual lembrei que a principal rota da droga que sai da Bolívia, da Colômbia e do Peru com destino à Europa, passando pela África, é o Brasil, o Estadão informa: a droga que sai do Brasil para a Europa é um dos principais pilares do financiamento de jihadistas e terroristas na África.

Sahel

A região do Sahel é um um cinturão da África que se estende do Oceano Atlântico até o Mar Vermelho.

Pois é. Nada é tão ruim que não possa piorar. Os jihadistas controlam um ‘pedágio’ na região do Sahel para permitir que a droga passe da América do Sul ao mercado europeu e ficam com 15% dos gastos na Europa com cocaína, de acordo com documentos da ONU obtidos pelo jornal.

Antes de fazer escala no Norte da África, segundo a Interpol, a droga colombiana passa, pelo menos desde 2007, pelos portos brasileiros, sendo o de Santos e os do Nordeste os mais utilizados. Uma vez na Costa Oeste africana, a droga passa por Mali, Marrocos, Argélia e Líbia, de onde viaja para a Europa.

Aviões que decolam de pistas clandestinas na Amazônia também viajam até a costa africana, em conexão conhecida como “Air Cocaine”.

Três especialistas dizem o seguinte:

1) Os cartéis sul-americanos passaram a pagar milhões aos islâmicos para garantir a passagem. (Michael Braun, ex-agente da Drugs Enforcement Administration – DEA, o órgão americano de combate ao narcotráfico.)

2) A droga hoje deixa “milhões de dólares para a Al-Qaeda”. (Abdelmalek Sayeh, ex-diretor do Escritório Nacional Argelino para a Luta contra a Droga.)

3) O que permitiu essa relação foi a ausência do controle do Estado sobre vastas áreas do território africano. (Centro Africano de Estudos e Pesquisa sobre o Terrorismo)

À VEJA desta semana, um delegado da Polícia Federal brasileira encarregado do combate ao tráfico na fronteira havia dito que o volume de drogas vindo da Colômbia tornou-se irrelevante. Motivo: a associação das Farc com os militares e políticos venezuelanos do Cartel dos Sóis teria praticamente neutralizado a rota brasileira de escoamento da droga colombiana.

Não sei o quanto é “irrelevante” para o delegado, nem quanto dos “milhões de dólares para a Al-Qaeda” vêm do pedágio na rota brasileira, mas os documentos da ONU decerto vão no sentido contrário de sua afirmação. Pelo visto, o Brasil do PT, aliado das Farc e do narcogoverno da Venezuela no Foro de São Paulo, não só facilita a vida do narcotráfico sul-americano como também promove sua parceria com o terror islâmico.

Seja na Petrobras (dos 3% de ‘pedágio’), seja no cenário internacional (dos 15%), o Brasil petista é isso: o elo entre o que há de ruim e o que há de pior.

* Veja também aqui no blog:
– FHC, maconha e o ‘fracasso’ da repressão inexistente

Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s