Clique e assine com até 92% de desconto
Dora Kramer Por Coluna Coisas da política. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

“Made in Brazil”

Nossas urnas eletrônicas se consolidam como exemplo de eficácia

Por Dora Kramer 5 nov 2020, 10h36

O que falar sobre as eleições americanas que ainda não tenha sido dito e repetido em jornais, rádios, tvs, revistas e redes? No que diz respeito ao Brasil, algumas coisas:

1. Nosso sistema de votação e apuração vai muito bem. Contestada principalmente devido à “viralatice” de se olhar com suspeita de ineficácia coisas que praticamente só acontecem no Brasil, a urna eletrônica é exemplo de eficiência. Assim como a estupenda organização dos desfiles de escolas de samba e a amplitude do Sistema Único de Saúde.

2.É especulação vazia a hipótese de Jair Bolsonaro demitir imediatamente os ministros Ernesto Araújo (Itamaraty) e Ricardo Salles (Meio-Ambiente) quando, e se, Joe Biden for confirmado presidente dos Estados Unidos.

3.Não é a obrigatoriedade do voto o que mede o real interesse do eleitorado no pleito, mas a importância da disputa na vida da nação e de seus cidadãos. Com voto facultativo, os EUA tiveram desta vez a maior participação popular desde o ano de 1900.

Continua após a publicidade
Publicidade