Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Cidades sem Fronteiras Por Mariana Barros A cada mês, cinco milhões de pessoas trocam o campo pelo asfalto. Ao final do século seremos a única espécie totalmente urbana do planeta. Conheça aqui os desafios dessa histórica transformação.

O que Arábia Saudita e Balneário Camboriú têm em comum: os edifícios mais altos do planeta e do país

Está prevista para 2019 a entrega do edifício mais alto do mundo, o Kingdom Tower, na Arábia Saudita. Ele vem sendo construído desde 2013 na cidade de Jedá, na costa do Mar Vermelho. O prédio, de um quilômetro de altura, terá seu topo acima das nuvens, numa paisagem digna de janelinha de avião. Tudo nele será grandioso: os 167 andares […]

Por Mariana Barros - Atualizado em 11 fev 2017, 17h29 - Publicado em 24 nov 2014, 18h35
O Kingdom Tower, na Arábia Saudita, terá um quilômetro de altura e topo acima das nuvens

O Kingdom Tower, na Arábia Saudita, terá um quilômetro de altura e topo acima das nuvens

Está prevista para 2019 a entrega do edifício mais alto do mundo, o Kingdom Tower, na Arábia Saudita. Ele vem sendo construído desde 2013 na cidade de Jedá, na costa do Mar Vermelho. O prédio, de um quilômetro de altura, terá seu topo acima das nuvens, numa paisagem digna de janelinha de avião. Tudo nele será grandioso: os 167 andares comportarão hotel, flats, escritórios e residências.  O mirante do 157º andar terá uma redoma de vidro para se apreciar a vista e 59 elevadores se deslocarão a dez metros por segundo.

Mas mais do que atender aos  milionários do Oriente Médio, o intuito do Kingdom Tower é desbancar o Burj Khalifa, edifício que desde que ficou pronto, em 2010, detém o título de mais alto do mundo. Ele mede 828 metros e fica em Dubai, nos Emirados Árabes, com 163 andares de uso misto (hoteleiro, corporativo e residencial). O apreço dos países da Ásia por edifícios gigantescos não é novidade: China, Japão, Malásia e Coreia do Sul também figuram na lista dos maiores arranha-céus do planeta e a cada década a disputa é encabeçada ora por uns e ora por outros.

Gráfico do Gizmodo: Empire State no chinelo

Gráfico do Gizmodo: Empire State (à direita) vai ficando no chinelo

Publicidade

Embora em proporções menores, há no Brasil um reduto dessa arquitetura megalomaníaca asiática. É o Balneário Camboriú, no litoral norte de Santa Catarina, onde ficam cinco dos dez edifícios mais altos do país, incluindo tanto os que já estão prontos quanto em fase de construção. O número um da lista brasileira é o residencial One Tower, ainda em obras, de frente para o mar de Balneário Camboriú. Com 280 metros de altura e 77 andares, ele já ocupa a 331ª posição entre os prédios mais altos do do mundo.

No balneário catarinense, a legislação não limita a altura dos prédios, mas apenas a quantidade de apartamentos  ou a taxa de ocupação. Assim, surgem construções altíssimas com uma ou duas residências por andar, a maioria na parte mais próxima da orla. Não à toa, corretores imobiliários costumam levar seus potenciais clientes para uma voltinha de helicóptero. O resultado desse apinhamento é uma extensa sombra na faixa de areia e a restrição das correntes de ar marítimas. Se já é assim hoje, imagine daqui a três anos, quando serão entregues o segundo, o terceiro e o quarto edifícios mais altos do Brasil, todos eles no Balneário Camboriú. E todos eles residenciais, uma exceção entre os prédios desse porte, que costumam ser corporativos ou de uso misto.

Balneário Camboriú, em Santa Catarina: em construção, cinco dos dez edifícios mais altos do Brasil

Balneário Camboriú, em Santa Catarina: em construção, cinco dos dez edifícios mais altos do Brasil

João Pessoa, capital paraibana, também entrará para a lista dos espigões em 2017, quando ficará pronto o Tour Geneve. São Paulo e Rio de Janeiro continuarão no ranking graças a obras altíssimas com mais de trinta anos de idade — caso dos edifícios Palácio W. Zarzur, Edifício Itália e  Rio Sul Center. O levantamento foi feito a partir de dados do CTBUH (sigla, em inglês, para Conselho de Edifícios Altos e Habitação Urbana, um banco de dados mundial para construções verticais). Abaixo, a lista dos dez mais brasileiros, que também pode ser consultada aqui.

Publicidade

Os prédios mais altos do Brasil:
(prontos ou em construção)

1º) One Tower
Balneário Camboriú (SC)
280 metros, residencial, em obras

2º) Infinity Coast Tower
Balneário Camboriú (SC)
237 metros, residencial, em obras

3º) Boreal Tower
Balneário Camboriú (SC)
220 metros, residencial, em obras

4º) Sky Tower
Balneário Camboriú (SC)
210 metros, residencial, em obras

5º) Tour Geneve
João Pessoa (PB)
182 metros, uso misto (residencial, lojas e escritórios), em obras

6º) Palácio W. Zarzur
São Paulo (SP)
170 metros, corporativo, entregue em 1967

7º) Alameda Jardins Residence
Balneário Camboriú (SC)
170 metros, residencial, em obras

8º) Edifício Itália
São Paulo (SP)
165 metros, corporativo, entregue em 1965

9º) Rio Sul Center
Rio de Janeiro (RJ)
163 metros, corporativo, entregue em 1982

10º) Altino Arantes
São Paulo (SP)
161 metros, corporativo, entregue em 1947

 

Projeção da orla de Camboriú com o One Tower (o mais alto, ao centro)

A orla de Balneário Camboriú, recordista nacional em arranha-céus

Por Mariana Barros

>> Acompanhe os posts do Cidades sem Fronteiras no Facebook // Siga o blog no Twitter

Publicidade

 

Publicidade