Clique e assine a partir de 9,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Para provar que é vítima de calúnias, Lula conta outra mentira desmentida pela foto

ATUALIZADO ÀS 21h32 Num trecho da entrevista que se derramou por dez páginas da Carta Capital desta semana,o ex-presidente Lula disse o seguinte: “Um dia desses eu vejo O Que Sei de Lula, um livro. O autor não conviveu comigo um único segundo para escrever a orelha do livro. Fico pensando o que faço com um […]

Por Augusto Nunes - Atualizado em 12 fev 2017, 14h20 - Publicado em 4 jun 2014, 22h32

ATUALIZADO ÀS 21h32

Num trecho da entrevista que se derramou por dez páginas da Carta Capital desta semana,o ex-presidente Lula disse o seguinte:

“Um dia desses eu vejo O Que Sei de Lula, um livro. O autor não conviveu comigo um único segundo para escrever a orelha do livro. Fico pensando o que faço com um cidadão desse? Acabo percebendo que o melhor é a desmoralização pela mentira. O Romeu Tuma Jr. não merece o comportamento do pai dele. O pai dele foi um cidadão digno”.

Divulgada já na segunda-feira pelo Facebook de Romeu Tuma Junior, autor do best-seller Assassinato de Reputações (Topbooks), a foto abaixo comprova que o entrevistado pela revista amiga não para de fabricar mentiras de curtíssima duração. Quem aparece ao lado de Lula é o jornalista José Nêumanne, autor da obra citada pelo gênio da raça que nunca leu um livro nem aprendeu a juntar sujeito e predicado. “A foto é uma prova material de que, instruído por algum idiota mal informado, o Barba mentiu outra vez”, constatou Tuma.

Continua após a publicidade

Nêumanne e Lula se conhecem desde os tempos em que o líder metalúrgico convertido em político profissional assediava jornalistas, especialmente os instalados em cargos de chefia, à caça de manchetes na primeira página ou espaço em capa de revista. Com um currículo engrossado por diversos postos de comando, Nêumanne perdeu a conta das conversas que teve com Lula, várias delas ocorridas na mesa de refeições da casa de um ou de outro. O jornalista também promoveu diversos encontros a pedido do oposicionista do século passado.

Em 1988, por exemplo, depois da vitória de Luiza Erundina em São Paulo, o jornalista organizou um almoço que resultou na reaproximação da prefeita eleita com o chefão do PT. Inconformado com a derrota do seu preferido na convenção municipal, Lula hostilizara Erundina durante toda a campanha. Quando se serviu a sobremesa, as mágoas haviam sido diferidas. Graças a gentilezas desse gênero, Nêumanne entrou na lista dos contemplados com um garrafão de pinga com cambuci preparada pela mãe de Marisa Letícia, Nonna, presente reservado pelo genro aos que chamava de “amigos do peito”.

Faz mais de 40 anos, portanto, que o ex-presidente conhece  o o autor de O Que Sei de Lula, também editado pela Topbooks. Fez de conta que nunca o viu porque Nêumanne conhece Lula bem demais.

neumanne

Publicidade