Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Paixão de Carnaval

“Já estou vendo as matérias amanhã: ministro da Fazenda cai”. Guido Mantega, ministro da Fazenda, pronto para desfilar no Carnaval de Brasília fantasiado de Carlos Lupi e berrando “Eu te amo, Dilma!”

“Já estou vendo as matérias amanhã: ministro da Fazenda cai”.

Guido Mantega, ministro da Fazenda, pronto para desfilar no Carnaval de Brasília fantasiado de Carlos Lupi e berrando “Eu te amo, Dilma!”

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Mauro Pereira

    Caro Augusto Nunes, boa tarde. Que a paz recaia sobre você, seus familiares e todos os comentaristas do timaço da Coluna do Augusto Nunes.
    Mulheres estranhas essas que compõem a equipe de ministras da presidente Dilma Rousseff. Não me atrevo a afirmar que há exceção, mas deve haver, sempre há, até mesmo nos ministérios formados por Lula e Dilma, reconhecidamente os mais incompetentes e corruptos de nossa história política. Chamam a atenção pelo alinhamento tanto no comportamento, quanto na oratória. Até aí, perfeitamente razoável, pois seus espíritos poucos luzentes refletem apenas a fôrma ideológica que molda o caráter de cada uma delas. Porém, impressionam mais pelos semblantes carregados que parecem exprimir todo o ódio que a alma possa suportar e o desamor que o coração ousa acalentar.
    A dureza que emana das faces sempre crispadas dessas mulheres me leva a considerar que em seus cotidianos ásperos não há espaço para suavidades fúteis e a acreditar que são produtos absolutos e acabados do mais avançado estágio da obsessão doutrinária que as despersonalizaram, sintoma superlativado por uma lavagem cerebral ideológica nenhum um pouco despropositada que as afastaram de si mesmas e cuja somatória de eventos tão devastadores à personalidade as estimularam a abraçar causas poucos nobres que se opõem à ordem natural da vida.
    Não se sentem constrangidas com a prática eventual de deslizes morais para atingir seus objetivos buscando tornar coletiva uma verdade que é apenas delas. Contrapõem-se à sensibilidade ao celebrarem a negação do ser e se superam no exercício da barbárie ao tornarem impossível a sobrevivência dele. Usam a ignorância e a alienação social como eficientes armas de convencimento de que são idênticas as igualdades de natureza sexual e de direitos e deveres dos cidadãos e, para tanto, não se esquivam de manipularem o princípio da legalidade, de ignorarem o que sente a sociedade intervindo indevidamente nas escolhas naturais de cada pessoa. Desvirtuadas, as opções perambulam pelos caminhos da degradação.
    Ao nomear a senhora Eleonora Menicucci como Secretaria de Política para Mulheres, a presidente Dilma Roussef foi de uma infelicidade ímpar. De livre e expontânea vontade se meteu numa tremenda saia-justa, que nem o mais rancoroso oposicionista se atreveria sequer imaginar. Trouxe para a intimidade do seu convívio uma das mais ferrenhas militantes da causa do aborto e defensora intransigente da vulgarização de sua prática como programa de governo. Ao confirmá-la no cargo, talvez a presidente tenha se esquecido que no auge da campanha eleitoral que a conduziu ao Palácio do Planalto, tocada pela fé devotada ao deus do voto converteu-se subitamente à seita das defensoras do direito à vida, se livrando de sua antiga carcaça de abortista convicta.
    Quando se deu conta que havia metido os pés pelas mãos, incumbiu o seu sabujo-mor para desautorizar a ministra recém-empossada, avisando que a criminalização do aborto era compromisso de campanha e, como tal, deveria ser respeitado. Dispensa-se o exercício de inteligência mais refinado para compreender que essa decisão torna mais grave ainda a situação, pois não estarei aviltando os fundamentos da honestidade se subentender que o apreço ao ato abortivo continua latente, domado apenas pelo respeito aos compromissos eleitorais. Diante de uma realidade tão ambígua, não consigo evitar que planem pela vastidão do subconsciente indagações que me inquietam: como reagirá a presidente se por ventura for derrotada nas eleições presidenciais de 2014,mais especificamente no período compreendido entre o resultado final das urnas e a posse do candidato eleito?, ou, então, suponhamos que consiga se reeleger sem a necessidade de reafirmar tais compromissos com as chamadas alas mais conservadoras, as menecuccis do seu governo continuariam sob censura? Sinceramente, não gostaria de me confrontar com essa temeridade.
    Em primoroso artigo publicado no blog Alerta Total questionando os métodos e a filosofia de vida (ou de morte) da nova secretária de Políticas para Mulheres, a prof.ª Dr.ª Aileda de Mattos Oliveira ensina que “é imperioso que a presidente busque em centros de inteligência alguém mais equipado intelectualmente e de mãos limpas, já que dentro de suas hostes a qualidade de recursos humanos é precária”, análise perfeita que traduz com muita propriedade os dias de pouco explendor que entristecem a Esplanada dos Ministérios..
    Embora compartilhe das preocupações da insígne professora quanto a indigência intelectual e a miséria moral que devastam os ministérios e a base que dá sustentação política ao governo, desvinculado da mais tênue conotação preconceituosa e divorciado de qualquer viés machista, continuo achando muito estranhas as mulheres da presidente.

    Ótimo texto, grande Mauro Pereira. abração

    Curtir

  2. Comentado por:

    Ivone

    Entre outras …qualidades, o Mantega tem também a da premonição.
    Quando cair, poderá ser o partner da mãe Dinah.

    Curtir

  3. Comentado por:

    Petista arrependido

    Mantega,
    Quem está no comando tem que demitir os subordinados que cometem delitos.
    Você não demitiu e agora está demitindo-se!!!

    Curtir

  4. Comentado por:

    edson gandarela

    pois é, GUIDO sua manteiga começou a derreter, começe a arrumar as malas

    Curtir

  5. Comentado por:

    anticorruptos e anticorruptores

    Guido Mantega caiu na malha fina (atenção para a cara do mico): http://1.bp.blogspot.com/_yflsvmgXbYM/StjuXUvhR0I/AAAAAAAADz4/LwzYmtGIcMc/s1600/Micos.bmp

    Curtir

  6. Comentado por:

    anticorruptos e anticorruptores

    Prezados Augusto Nunes e colegas comentaristas, na minha opinião, vale a pena ler o artigo “Até quando vamos aguentar Guido Mantega e sua Gosplan?” (“por Leandro Roque, sexta-feira, 16 de setembro de 2011″): http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1109
    .
    Parte do referido artigo:
    .
    “(…) Em Brasília, trabalha-se em postura dinâmica e extenuante. Os burocratas têm duas preocupações que lhes atormentam continuamente, e eles passam seus dias fazendo a si próprios as duas seguintes perguntas:
    .
    1) O que vou inventar hoje para atrapalhar ainda mais a vida daqueles idiotas que me puseram aqui e que me sustentam?
    .
    2) O que devo fazer para mostrar aos lobistas que financiam minhas mordomias que sou muito ativo (e que os brasileiros são os passivos)?
    .
    Estou me referindo, obviamente, à mais recente e asinina ideia do governo: a elevação de 30 pontos porcentuais do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) de automóveis e caminhões para as montadores que não cumprirem os seguintes requisitos:
    .
    1) Utilizar no mínimo 65% de conteúdo nacional ou regional (Mercosul);
    2) investirem em pesquisa e desenvolvimento, e (acha que são só três requisitos?)
    3) preencherem pelo menos 6 dentre outros 11 outros requisitos de investimentos.
    E quais seriam alguns desses outros 11 requisitos?
    .
    De acordo com o inexaurível Guido Mantega — cuja fisiologia, cor da tez e corte de cabelo cada vez mais se assemelham às de um apparatchik do terceiro escalão soviético da era Brejnev —, dentre estes outros requisitos há a exigência de que os veículos sejam montados e estampados no Brasil, bem como seus motores, embreagens e câmbio.
    .
    Ou seja: temos agora um burocrata determinando especificidades sobre como se deve fabricar carros no Brasil. Se isso não é um exemplo explícito de planejamento central, então o conceito deve ser urgentemente reinventado.
    .
    O mais incrível é ver um sujeito como Mantega, que não saberia gerir uma concessionária de Yugo na Mongólia, pontificando sobre questões automotivas, falando com pretensa desenvoltura e segurança sobre embreagens, motores e câmbio. Mais um pouquinho e ele começaria a determinar especificações para relações de marcha, diferencial, injeção eletrônica e comando de válvulas. (…)”

    Curtir

  7. Comentado por:

    cristina

    Desculpe.
    Descompasso.
    Não é Marrocos .
    As papoulas rodam pelo mundo . O Xanax e outros nomes , o vício bem comportado dos analgésicos passa por aquelas montanhas áridas ao lado do Irã e perto do Paquistão. Do mesmo clima, o alho e o grão de bico.
    Alemanha , americanos um vietnam para os russos e os talibãs explodiram um Buda .
    Sem o corretor ortográfico do Word seria tudo uma vergonha (e já é ) “deseja salvar o documento “ e a resposta usual :não . Do Word nada tenho. Se estivesse no século 19 , queimaria tudo, mas a tecnologia me facilitou a falta da lareira.
    Um pouco de memória e muitos erros . O ex membro da Al Queada estava com Bin Laden no Afeganistão. Eu acho que escrevi Marrocos e o jornalista inglês que o fulano agendou para a entrevista com Bin Ladem era Robert Fisk, agora o doc não consegui achar mesmo . O fulano estava naquele vídeo onde Bin Laden aparece estilo guerrilheiro com casaco verde e arma em punho junto com os talibãs e membros da Al Queada no Afeganistão.

    Curtir