Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Neurônio perplexo

“Eu fiquei muito… Dois sentimentos: primeiro, eu fiquei muito perplexa, extremamente perplexa. Não esperava que isso acontecesse, ninguém esperava”. Dilma Rousseff, nesta segunda-feira, em Paris, mostrando que ficou tão perplexa com a prisão do senador Delcídio do Amaral que nem conseguiu revelar qual foi o segundo dos dois sentimentos experimentados pelo neurônio solitário.

Por Augusto Nunes Atualizado em 30 jul 2020, 23h58 - Publicado em 2 dez 2015, 19h32

“Eu fiquei muito… Dois sentimentos: primeiro, eu fiquei muito perplexa, extremamente perplexa. Não esperava que isso acontecesse, ninguém esperava”.

Dilma Rousseff, nesta segunda-feira, em Paris, mostrando que ficou tão perplexa com a prisão do senador Delcídio do Amaral que nem conseguiu revelar qual foi o segundo dos dois sentimentos experimentados pelo neurônio solitário.

Publicidade