Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Eliziário Goulart Rocha: O canastrão quer se livrar dos tomates

Na ausência de uma tábua salvadora, a Lula só resta mesmo espernear

Eliziário Goulart Rocha: O canastrão quer se livrar dos tomates

É natural que quem passou a vida interpretando se preocupe com o ângulo da câmera, sobretudo quando sabe que pode ser uma de suas últimas cenas fora das grades. Luiz Inácio Lula da Silva interpreta até hoje o operário humilde, embora não saiba o que é trabalho de verdade desde os anos 1970 e tenha passado longo período saboreando as delícias do ócio ideológico remunerado por fora. E tanto atuou que está quase convencido de ser o personagem que criou, assim como Zé Dirceu estava quase convencido de sua inocência quando foi cassado e preso em função do Mensalão.

Há atores extraordinários e atores ordinários. Os extraordinários imortalizam personagens capazes de provocar na plateia o riso escancarado ou o choro convulsivo. Os ordinários não convencem ninguém, mas ainda assim conseguem levar às gargalhadas o público disposto a rir para não chorar e conduzir às lágrimas os patetas – ou cúmplices – capazes de acreditar na mais genuína história da carochinha.

O pedido da defesa de Lula para que a câmera, ao contrário do que ocorreu até aqui nos depoimentos da Lava Jato, não feche no interrogado, e sim utilize plano aberto para mostrar todo o ambiente, mais do que representar a malandragem porca visando a edições esperrrtas para o horário eleitoral gratuito – uma excrescência da qual os brasileiros há muito deveriam ter sido poupados –, revela o desespero de quem sabe que, na ausência de uma tábua salvadora, só resta mesmo é espernear.

O canastrão prestes a ter como camarim uma cela podia se poupar de certos micos, mas tal decisão dificilmente é tomada por quem se julga acima de coisas comezinhas como a Constituição, o Código Penal ou a vergonha na cara. Saber se retirar de cena quando ainda resta uma ínfima possibilidade de exibir dignidade é coisa para poucos. Na impossibilidade de evitar a metafórica chuva de tomates ao final de uma apresentação farsesca, resta pedir que os cinegrafistas façam plano geral, na esperança de que o público preste mais atenção nas cortinas ou no brilho do assoalho, e não no de sua cara de pau.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Excelente. Vai para os meus guardados. Na minha opinião, o que mais importa para Lula é evitar a leitura corporal. É mais fácil mentir no palanque, sem o desmentido provado “na lata”.

    Curtir

  2. Espanta! O sofrido povo brasileiro (pagador de impostos) que, não há informação na mídia e nos autos processuais, nem como direito à informação por LEI, os gastos milionários do BRAHMA & CIA e de toda a sua família, com cartões corporativos da república ou da presidência da república desde a posse delle como presidente em 2003. Gastos secretos, sem controle total do TCU e valores totais milionários. Os cartões vão sendo distribuídos na cúpula e outros escalões de chefia, acabando como renda salarial sem imposto de renda, tornando um grande número de servidores públicos, distraídos gastando em lojas e restaurantes, sem tempo para cuidar dos graves problemas brasileiros e, em especial, dos salários dos outros servidores públicos “sem cartão”. FHC criou esses cartões e o limite era R$400,00. Exceção aos profissionais que atendem emergências no atendimento da população.

    Curtir

  3. Antonio Renovável

    Realmente o malandro é diferente, é o típico “MAIS IGUAL QUE OS OUTROS”. Só quem não te conhece é quem te compra ladrão.

    Curtir

  4. Floriano Barros

    Não tenho palavras para me dirigir à esse pilantra, só paredão mesmo.

    Curtir

  5. marcelo Sampaio

    Excelente texto, Parabéns

    Curtir

  6. Luis Roberto Ferreira

    Lula quer transformar a audiência com o juiz Moro em programa de propaganda partidária. Tem como certo que, naquela ocasião, colocará o magistrado no bolso. Subestimando seu julgador corre o risco de que o espetáculo glorioso que imagina montar com auxílio de seus aguerridos advogados se transforme em um amargo pesadelo.

    Curtir

  7. Eu me senti envergonhada e constrangida com tanta farsa

    Curtir

  8. Al Capone jurou inocência até a morte e morreu em Alcatraz. Beiramar e Marcola, também se julgam inocentes e estão presos. Agora só falta mais um !!!

    Curtir

  9. Alonso Infocell

    o interessante de tudo isso, e que todos são corruptos,mas o único que todos querem preso e só o lula, e o resto dos pólicos,o que acontece com eles,fica por isso mesmo, desfrutando da impunidade,tem que por todos no mesmo caminhão e levar para a prisão depois joga a chave fora,assim também com menores infratores, vagabundos, ladrões,sonegadores de impostos religiosos safados que se aproveita de gente trouxas e outras gentalhas

    Curtir