Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A agenda oficial de sete ministros omitiu a folga eleitoral durante o horário de trabalho

Nesta quarta-feira, 30 de julho, não havia nenhum compromisso entre 15h30 e 17h nas agendas dos ministros Guido Mantega (Fazenda), Aloizio Mercadante (Casa Civil), Guilherme Afif Domingos (Micro e Pequena Empresa), Mauro Borges (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), Clélio Campolina (Ciência e Tecnologia), Thomas Traumann (Comunicação Social) e Garibaldi Alves (Previdência Social). Uma anotação na agenda de Mauro Borges, […]

Por Augusto Nunes Atualizado em 31 jul 2020, 03h22 - Publicado em 1 ago 2014, 10h12
Primeira fileira: Guido Mantega (segundo da direita para a esquerda), ao lado de Aloizio Mercadante  Segunda fileira: Guilherme Afif Domingos (quarto da direita para a esquerda) Terceira fileira: Mauro Borges (terceiro da direita para a esquerda), ao lado de Clélio Campolina (Foto: José Paulo Lacerda/CNI)

Primeira fileira: Guido Mantega (segundo da direita para a esquerda), ao lado de Aloizio Mercadante
Segunda fileira: Guilherme Afif Domingos (quarto da direita para a esquerda)
Terceira fileira: Mauro Borges (terceiro da direita para a esquerda), ao lado de Clélio Campolina (Foto: José Paulo Lacerda/CNI)

Nesta quarta-feira, 30 de julho, não havia nenhum compromisso entre 15h30 e 17h nas agendas dos ministros Guido Mantega (Fazenda), Aloizio Mercadante (Casa Civil), Guilherme Afif Domingos (Micro e Pequena Empresa), Mauro Borges (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), Clélio Campolina (Ciência e Tecnologia), Thomas Traumann (Comunicação Social) e Garibaldi Alves (Previdência Social). Uma anotação na agenda de Mauro Borges, por exemplo, avisou que o substituto de Fernando Pimentel se ocuparia de “despachos internos” das 14h às 19h. Guido Mantega seria absorvido por “reuniões internas” sem horário definido. A página incumbida de detalhar a movimentação de Garibaldi contém apenas três palavras: “Sem agenda informada”.

A foto acima revela o que os sete parceiros de primeiro escalão queriam esconder: todos se evadiram do local do emprego e mataram a tarde de trabalho para engrossar a plateia incumbida de aplaudir Dilma Rousseff no auditório da Confederação Nacional da Indústria, palco da sabatina que reuniu os três principais candidatos à eleição presidencial. Nenhum dos gazeteiros pretende devolver o dinheiro que vão receber sem trabalhar.

Publicidade