Clique e assine a partir de 9,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

1 Minuto com Augusto Nunes: O Itamaraty redescobre a altivez e cai fora do clube dos cafajestes bolivarianos

No discurso de posse, o chanceler José Serra avisa que a política externa agora é determinada pelos interesses da nação, não pelas preferências ideológicas do PT

Por Augusto Nunes - Atualizado em 9 Feb 2017, 07h58 - Publicado em 19 May 2016, 21h51

A dura reação de José Serra às provocações de vizinhos insolentes avisou, já nas primeiras horas do governo Temer, que o Brasil caíra fora do quadro associativo do clube dos bolivarianos. Nesta quarta-feira, o discurso de posse do novo chanceler confirmou que o país que presta deixará de envergonhar-se com a diplomacia da cafajestagem instituída há 13 anos.

Para deixar claro que a submissão do Itamaraty às diretrizes do PT acabou, o ministro anunciou que a fila de prioridades é puxada pelo fim das parcerias subordinadas a critérios ideológicos e pela defesa da democracia, da liberdade e dos direitos humanos ─ “em qualquer país e qualquer regime político”.

Os ataques de Nicolás Maduro a decisões constitucionais do Congresso brasileiro parecem preceder outra ofensiva contra o Parlamento venezuelano, hoje comandado pela maioria oposicionista. O herdeiro de Hugo Chávez que se cuide. Se lhe restar algum juízo, convém pensar 30 vezes antes de lançar-se à rota que leva ao golpe.

Pode encontrar no meio do caminho uma pedra chamada Brasil.

Continua após a publicidade

http://videos.abril.com.br/veja/id/bc0c0121572eb8a3186759807b3dd338?

Publicidade