Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Alberto Carlos Almeida Por Coluna Opinião política baseada em fatos

Bolsonaro em outro partido

O presidente da República também quer um partido para chamar de seu

Por Alberto Carlos Almeida - Atualizado em 11 nov 2019, 17h42 - Publicado em 11 nov 2019, 17h35

O mais provável é que Bolsonaro realmente deixe o PSL. Se isto ocorrer será seu décimo partido. Ele se distanciará de Ciro Gomes na disputa pela liderança de quem já pertenceu a mais partidos — Ciro está no seu sétimo. Pode ser que Bolsonaro recue. No momento há dois desfechos possíveis: Bolsonaro permanece no PSL sem poder de mando ou o presidente da República sai com meia dúzia de deputados fiéis. Isso não será problema: ele foi eleito sem apoio de ninguém e governa sem aliança alguma. Neste caso, ele escolherá disputar sua reeleição em 2022 em condições semelhantes às de 2018. Os partidos e políticos do Centrão continuarão à míngua, e o processo legislativo ficará ainda mais lento e incerto.

Publicidade