Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ouça áudio de WhatsApp de criminosos incentivando o assassinato de policiais

Nesta semana, a equipe de Ciência e Tecnologia de VEJA, da qual sou editor, publicou uma reportagem –assinada por Jennifer Ann Thomas – que esmiúça como bandidos usufruem do Facebook e do WhatsApp para planejar suas ações (confira parte do texto aqui; inteiro, na revista). É assombroso notar como o mundo livre da internet serviu de […]

Nesta semana, a equipe de Ciência e Tecnologia de VEJA, da qual sou editor, publicou uma reportagem –assinada por Jennifer Ann Thomas – que esmiúça como bandidos usufruem do Facebook e do WhatsApp para planejar suas ações (confira parte do texto aqui; inteiro, na revista). É assombroso notar como o mundo livre da internet serviu de porta, também, para a manifestação “livre” de uma faceta podre do homem. Claro, uma coisa não cancela a outra. Contudo, é necessário saber que as maravilhas das novas ferramentas online não são utilizadas apenas para fins benéficos.

Os criminosos se aproveitam das proteções – a exemplo da tão falada criptografia de ponta-a-ponta do WhatsApp – desses sites e apps, as mesmas que garantem a privacidade dos demais usuários, para praticar atos ilegais na obscuridade, escondidos da polícia (mais um indício dessa atitude é a forma descarada como estupradores escancararam na internet a barbárie que cometeram no Rio com uma menor de idade).

Outro exemplo da reportagem: traficante vende drogas pelo WhatsApp

Outro exemplo da reportagem: traficante vende drogas pelo WhatsApp

Afinal, quando um delegado ou um juiz se depara com a necessidade de quebrar o sigilo de algum usuário desses serviços, para dar continuidade a uma investigação – dentre os exemplos da matéria, há casos de traficantes de drogas e de pedófilos –, recebe como resposta da empresa uma negativa. Não aceitam entregar mensagens, posts, e afins, desses criminosos, às autoridades. Na internet, eles podem agir livremente. Em efeito contínuo, eles “agem livremente”.

Uma das provas coletadas pela reportagem (há tantas outras) é esse áudio abaixo, que divulgo com exclusividade neste blog (ele também pode ser ouvido pelo recurso Mobile View, de realidade aumentada, da revista). Do que se trata: dois delinquentes, ligados à facção paulista PCC, discutem como um de seus parceiros morreu em uma troca de tiros com a polícia; na sequência, sugerem que o ideal, nessas situações, é matar os policiais na hora, revidar, se vingar. Ou seja, estimulam o assassinato dos agentes públicos.

Confira:

Repito, novamente, se trata apenas de uma, de tantas, provas expostas na reportagem de VEJA. Há, ainda, evidências de como traficantes, pedófilos, vendedores ilegais de animais silvestres, resumindo, uma variada sorte de criminosos, atuam na web. Leia, na revista, a história completa.

Em tempo: amanhã, neste mesmo blog, compartilharei mais um áudio assustador proveniente da apuração da reportagem acima citada.

Para acompanhar este blog, siga-me no Twitter, em @FilipeVilicic, e no Facebook.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Marcos

    Sim, e qual é a melhor solução?!

    Curtir

  2. Comentado por:

    Juarez

    É a minoria causando terrorismo na maioria. Esse meliante é um analfabeto, pior do que qualquer pessoa de 2000 anos atrás no Brasil, que não sabia ler ou escrever, que mesmo não tendo educação sabiam o que era certo e errado, que a vida não era fácil para ninguém. Se você andar por ai dentro dos ônibus, terminais, hospitais e festas, é possível encontrar esse tipo de gente que para eles, ser bandido é vida boa e correta. Não procuram estudar e nem trabalhar, acham que as pessoas que tem boa qualidade de vida, conseguiram de forma fácil, roubando, matando ou prejudicando o próximo. Policiais não saem para combater o crime, eles saem para a guerra, o pior é que no meio dos bons existe os ruins que fazem vários policiais bons morrerem. O nome Brasil surgiu por causa da natureza e grandeza, nome desse país deve mudar para Caos, é o que se encontra em grande quantidade.
    Engraçado o povo brasileiro defendendo políticos e seus partidos, uns contra os outros, da forma que todos os partidos gostam, para poderem sempre ter votos e se perpetuarem no poder, “Aqui entre nós compartilhamos, mas na frente do povo a gente tem que ser inimigos”. O Brasil está dividido em dois lados, nenhum dos dois compreendem o esquema que caíram, esqueceram de defender seus próprios ideais, se importando apenas se estão com uns trocados no bolso para comprar sua cervejinha no final do dia, sem ter carne na mesa ou boas condições de trabalho.
    Maior parte dos brasileiros, pensam em estudar apenas para conseguir uns trocados para viver a vidinha que tem e continuar na miséria. Não pensa que estudar e ler, você ganha mais informação e que informação é poder.

    Curtir

  3. Comentado por:

    Antonio carlos dos Santos

    É revoltante ver que uma tecnologia que deveria apenas permitir a integração e diversão entre pessoas, tenha também se tornado também meio de comunicação entre criminosos! Aliás, sugiro que as autoridades não mais tentem bloquear os celulares dentro de presidios e sim busquem uma tecnologia que permita gravar todas as conversas entre eles! De resto, a Policia tem minha autorização para atirar primeiro!

    Curtir

  4. Comentado por:

    Filipe Vilicic

    Caro, para tanto, recomendo, novamente, a leitura da matéria que cito no post acima. Lá, debatem-se soluções.

    Curtir

  5. Comentado por:

    Milene Jeffirs

    Parabens a jornalista corajosa que traz a tona um problema serissimo em que muitos de nos nao para para pensar. Parabens Veja!

    Curtir

  6. Comentado por:

    Alberto Rossini

    Grande novidade….

    Curtir

  7. Comentado por:

    Paulo crux

    Já desisti dessa porcaria que se chama ser humano faz é tempo…

    Curtir

  8. Comentado por:

    Francisco

    Tudo que é feito para o bem alguém vai usar para o mal. Não é por isso que vamos tirar das pessoas do bem o acesso as ferramentas feitas para o bem.

    Curtir