Clique e assine a partir de 9,90/mês

Depressão: um mal precoce

Em um mundo globalizado, os adolescentes nunca estiveram tão sós - é o paradoxo que alimenta os casos de depressão

Por Da Redação - Atualizado em 21 abr 2018, 15h19 - Publicado em 20 abr 2018, 19h07

Uma das fases da vida mais propícias para o aparecimento da depressão é a adolescência. De acordo com Rodrigo Machado Vieira, professor titular de psiquiatria da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, o cérebro juvenil é o mais vulnerável à depressão: 7 em cada 10 casos da doença ocorrem antes dos 24 anos.

A incapacidade de ver esperança no futuro é uma das maiores consequências da doença, e afeta aqueles que sofrem deste mal de maneira devastadora. “Depressão pra mim é uma coisa que está faltando e você nem sabe que está faltando”, afirma Lucas de Mello Rocha, de 28 anos, que sofre da doença. Para Clara Valentim, de 18 anos, é como se uma pessoa estivesse ao seu lado, dizendo para ficar em casa sem fazer nada e a impedindo de viver.

Nesta fase da vida, os jovens sentem as emoções de forma mais intensa. Eles vivem em uma constante montanha-russa e sofrem com a instabilidade no enfrentamento de desafios – tudo isso por conta de motivos biológicos. Algumas partes do cérebro ainda não estão totalmente formadas e agrupamentos de neurônios são mais ativos.

“Se eu pudesse dizer alguma coisa para as pessoas que estão vivendo isso é que, em algum momento, isso vai mudar”, afirma Antonia Penteado. A jovem de 16 anos alerta para que aqueles que sofrem de depressão procurem ajuda, seja na família, amigos ou médicos especialistas.

Continua após a publicidade

 

 

Publicidade