Clique e assine a partir de 9,90/mês

Amarelas Ao Vivo: João Amoêdo, Alvaro Dias e Geraldo Alckmin

Fórum de VEJA teve as presenças de João Amoêdo, Geraldo Alckmin, Alvaro Dias, Marina Silva e Henrique Meirelles

Por Da Redação - Atualizado em 20 set 2018, 17h57 - Publicado em 20 set 2018, 17h54

O evento Amarelas Ao vivo chegou à sua quarta edição nesta quarta-feira (19) com um tema mais do que relevante para o nosso país. No primeiro bloco, o afiado time de VEJA entrevistou os presidenciáveis Alvaro Dias (Podemos), Geraldo Alckmin (PSDB) e João Amoêdo (Partido Novo). 

Na entrevista, o candidato do Novo à Presidência da República João Amoêdo reconheceu nesta que o ataque sofrido pelo presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) atrapalhou a sua campanha. Ambos disputam o mesmo eleitorado, mais identificado com a direita. Amoêdo vinha em uma crescente nas pesquisas de intenções de voto, movimento que estancou após o atentado contra seu concorrente, que disparou na liderança. 

Já Alckmin intensificou o tom na pregação pelo voto útil para evitar um segundo turno entre os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), que lideram as pesquisas de intenção de voto ao Palácio do Planalto. O tucano classificou as possíveis eleições de Bolsonaro e Haddad como “equívoco”, “salto no escuro” e “escuridão” e afirmou que é “óbvio que vai dar problema” caso um dos dois seja eleito.

O senador Alvaro Dias, candidato do Podemos à Presidência da República, culpou o atual sistema político e o que considera ser uma contradição das pesquisas eleitorais para explicar seu baixo desempenho nas pesquisas de opinião, que não o colocam com 4% das intenções de voto. “Estamos participando da campanha mais injusta, desonesta e antidemocrática de todos os tempos em função de uma legislação que foi arquitetada no Congresso Nacional para limitar a renovação politica.”, disse Dias.

 

Continua após a publicidade
Publicidade