Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

LG terá smartphones com sistema operacional Firefox

Anúncio foi feito no Mobile World Congress (MWC), na Espanha

Por Da Redação 25 fev 2013, 15h48

A fabricante sul-coreana LG anunciou nesta segunda-feira que pretende lançar até o fim do ano um smartphone com o sistema operacional móvel Firefox OS – desenvolvido pela Fundação Mozilla e que utiliza a linguagem de programação HTML 5. O anúncio foi feito durante o Mobile World Congress (MWC), que acontece até a próxima sexta-feira em Barcelona, na Espanha.

Leia também

Firefox vai virar sistema operacional para celular

Smartphones da Vivo com Firefox OS chegam em 2013

Mozilla apresenta celulares com plataforma Firefox OS

Continua após a publicidade

“É importante apoiar esse sistema operacional, que não é dominado por ninguém”, afirmou Oscar Rodríguez, diretor da divisão de telefonia celular da LG Espanha, ao lembrar que o mercado de plataformas móveis é dominado pelo Android, do Google, e pelo iOS, da Apple. A companhia ainda não apresentou seu novo aparelho ao público, mas a existência de um protótipo já foi confirmada por clientes corporativos e desenvolvedores.

O Firefox OS, que leva o mesmo nome do popular navegador, é leve e pode ser executado em smartphones mais simples, que não possuem a capacidade de processamento dos modelos de ponta. O projeto conta com o apoio de diversas operadoras, que buscam a oportunidade de expandir sua clientela em países emergentes.

Review: Por dentro do Keon, smartphone com Firefox OS

No Brasil, a operadora Vivo fechou um acordo de exclusividade com a Mozilla para distribuir aparelhos com a plataforma no país. As duas empresas buscam parceiros para fabricar os dispositivos, que podem chegar ao mercado em 2013 por valores bem inferiores aos dos aparelhos vendidos hoje.

No começo do ano, a fabricante espanhola Geeksphone apresentou o Keon, o primeiro smartphone com o sistema Firefox OS. Seu preço no exterior gira em torno de 99 dólares – o valor não inclui eventuais subsídios das operadoras.

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade