Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Google apresenta Stadia, novo serviço de streaming para games

Plataforma permitirá que jogos sejam acessados por quaisquer dispositivos

O Google anunciou nesta terça-feira, 19, um novo serviço de streaming para games que, assim como a Netflix para filmes e séries e o Spotify para música, permitirá que os usuários joguem de qualquer lugar usando apenas uma conexão com a internet e um controle que tenha entrada usb. O Stadia tenta capitalizar a tecnologia de nuvem da empresa e a rede global de centros de dados para possibilitar a utilização da plataforma.

O novo serviço de assinatura poderá ser acessado por um computador, smartphone ou Chromecast, e contará com um cardápio diversificado. O usuário não precisará possuir os jogos, nem física nem virtualmente. A tecnologia permite que usuários tenham jogos de ponta no seu browser de internet, sem ter que esperar que qualquer conteúdo seja baixado em seu dispositivo.

O Google revelou o serviço durante apresentação em São Francisco na Game Developers Conference, que juntou nessa semana 25 000 pessoas que trabalham na indústria dos games. Com isso, o Google passa a fazer parte de um negócio de crescimento global que movimenta cerca de 136 bilhões de dólares (513,5 bilhões de reais) por ano e deverá competir com Sony, que detém o Playstation, Microsoft, que detém o Xbox, e Nintendo, que detém o Switch.

O Stadia promete jogos com qualidade 4K, 60fps, HDR e som surround. Os jogos poderão ser acessados por meio do Google Chrome, navegador de internet da empresa. A central de processamento serão os próprios computadores da empresa.

A plataforma terá 10.7 teraflops (operação de ponto flutuante por segundo, que determina o desempenho de um computador), número maior que o XBox One X, por exemplo, que tem 6 teraflops, e o Playstation 4 Pro, que tem 4.2 teraflops. Há também a promessa de gráficos melhores, graças à utilização de diversas placas de vídeo para processar os jogos.

O Stadia será lançado ainda neste ano nos EUA, Canadá e na Europa.

(com EFE e Reuters)