Clique e assine a partir de 8,90/mês

Fundador da Huawei diz que EUA ‘subestimam’ sua empresa

Declaração veio pouco após a Casa Branca adiar, até meados de agosto, a proibição de exportações de tecnologia para a empresa

Por Da Redação - Atualizado em 21 Maio 2019, 03h18 - Publicado em 21 Maio 2019, 02h13

O fundador da Huawei, Ren Zhengfei, declarou, nesta terça-feira 21, que os Estados Unidos “subestimam” sua empresa e que os planos da gigante das telecomunicações envolvendo a tecnologia 5G não serão afetados por decisões de Washington para bloqueá-lo.

“Os políticos americanos, com sua atual forma de agir, demonstram que subestimam nossa força”, disse Ren em entrevista ao canal estatal CCTV.

Segundo Zhengfei, o grupo tem estoques de chips e “não ficará isolado” do mundo neste sentido.

Na segunda-feira, os Estados Unidos decidiram adiar, até meados de agosto, a proibição de exportações de tecnologia para a Huawei.

Um anúncio do departamento de Comércio revela que o adiamento foi decidido para que a Huawei e seus sócios tenham tempo “para manter e respaldar as redes e equipamentos existentes e atualmente em pleno funcionamento, inclusive as atualizações de software”.

Continua após a publicidade

Na última semana, Donald Trump declarou “emergência nacional” para firmar um decreto que proíbe empresas americanas de utilizarem equipamentos de telecomunicações estrangeiros que “coloquem em risco a segurança nacional”. 

A Casa Branca disse que a decisão tem o objetivo de proteger o país “dos adversários estrangeiros que exploram cada vez mais as vulnerabilidades da infraestrutura, dos serviços de tecnologia da informação e das comunicações nos Estados Unidos”.

O decreto presidencial visa responder a “atos criminosos favorecidos pela Internet, incluindo espionagem econômica e industrial contra os Estados Unidos e sua população”.

Com o secretário de Estado Mike Pompeo na linha de frente, os Estados Unidos realizam há meses uma ofensiva contra a Huawei, que acusam de espionar para Pequim.

Os Estados Unidos excluíram a Huawei dos projetos de tecnologia 5G em seu território e tentam convencer seus aliados ocidentais a fazer o mesmo, advertindo para os muitos riscos de espionagem por meio da quinta geração da Internet móvel.

(Com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade