Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Facebook faz alteração em publicidade móvel

Objetivo é aumentar receita proveniente de anúncios em tablets e celulares, cada vez mais utilizados para acessar a rede social

Por Da Redação
6 jun 2012, 10h55

O Facebook está abrindo os caminhos para os anunciantes chegarem ao número crescente de usuários de smartphones e outros aparelhos móveis, um passo significante para aumentar o apelo da companhia em publicidade diante das preocupações dos investidores. A companhia, que viu o crescimento se desacelerar nos últimos meses, na terça-feira começou a permitir que anunciantes criem publicidade específica para as versões móveis e que direcionem anúncios aos feeds de notícias. A decisão representa uma mudança significativa para o Facebook, que restringia a presença dos anunciantes em certas áreas do site.

Leia mais:

Facebook faz maior IPO de tecnologia da história

Queda na receita motiva ação judicial contra a companhia

Eduardo Saverin, brasileiro do Facebook conta sua historia a VEJA

Continua após a publicidade

A rede social se tornou a primeira empresa norte-americana a estrear nos mercados de ações com valor de mercado superior a 100 bilhões de dólares. Contudo, a preocupação quanto à incapacidade de traduzir em receita publicitária a presença crescente dos serviços nos aparelhos móveis fez o valor da companhia cair 32 bilhões de dólares.

Pouco antes da oferta pública inicial de ações, diversos analistas rebaixaram as metas financeiras para a companhia, quando esta alertou que o faturamento poderia crescer menos devido à fuga de usuários para os aparelhos móveis. �”Para o Facebook, é um grande problema não ter conseguido monetizar a atividade dos usuários com aparelhos móveis”, disse Brian Wieser, analista do Pivotal Research Group.

As mudanças na publicidade do Facebook acontecem enquanto os investidores questionam o potencial de faturamento em longo prazo do negócio básico da companhia e a efetividade das redes sociais no marketing. Uma pesquisa Reuters/Ipsos divulgada na segunda-feira apontou que quatro em cinco usuários do Facebook nunca tinham adquirido produtos ou serviços como resultado de publicidade ou comentários no site.

Leia mais:

Facebook faz maior IPO de tecnologia da história

Queda na receita motiva ação judicial contra a companhia

Eduardo Saverin, brasileiro do Facebook conta sua historia a VEJA

(Com agência Reuters)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.