Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sírio-Libanês assume gestão de hospital e ambulatório do SUS

Com contrato para os próximos cinco anos, o Sírio deverá receber mais de 600 milhões de reais para administrar as duas unidades

O Hospital Sírio-Libanês vai assumir a gestão do Hospital Geral do Grajaú e do Ambulatório Médico de Especialidades (AME) Interlagos, ambos na zona sul da capital paulista. O acordo entre a Secretaria de Estado da Saúde e o Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês foi oficializado na manhã desta sexta-feira.

Saiba mais

ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE SAÚDE (OSS)

Uma OSS é uma entidade filantrópica sem fins lucrativos, autorizada a firmar contratos de gestão para administrar unidades públicas da área da saúde e da cultura. No estado de São Paulo, existem hoje 37 unidades (saúde) qualificadas pelo governo estadual, com funcionamento regulamentado por legislação publicada em 1998. Toda verba repassada para uma OSS deve ser usada para gerir a unidade em questão, que não deve ter lucro nem prejuízo.

Os dois serviços estaduais atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS) a uma população de mais de dois milhões de habitantes, que moram entre os bairros Capela do Socorro e Parelheiros. É a primeira vez que o Sírio passa a administrar unidades públicas estaduais de saúde, sob o modelo de OSS (Organização Social de Saúde) implantado desde 1998 pelo governo paulista.

De acordo com Sérgio Zanetta, diretor de filantropia do Sírio, o Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês tem contrato semelhante de parceria com o município para a gestão do Hospital Menino Jesus, na Bela Vista, desde 2008. “Não ganhamos absolutamente nada para isso. Nossa meta é a melhoria do SUS, e procuramos transmitir os conhecimentos adquiridos, em gestão e medicina, a essas instituições”, diz.

Com contrato para os próximos cinco anos, o Sírio deverá receber mais de 600 milhões de reais da Secretaria para administrar o hospital e o AME. Para 2012, o orçamento do hospital do Grajaú cresceu 16,7%, passando de 89 milhões de reais para 103,8 milhões de reais. O AME teve seu orçamento reajustado em 11,5%, passando de 10,4 milhões de reais para 11,6 milhões de reais em 2012.

Operação – No Hospital Geral Grajaú, referência em maternidade de alto risco e de atendimento de média complexidade, o contrato prevê 14.496 internações e 288.000 atendimentos de urgência no primeiro ano. Além disso, a OSS deve garantir a realização de pelo menos 1.200 exames de ultrassonografia ainda em 2012. Os contratos são flexíveis e ajustados conforme a demanda. O hospital tem atualmente 246 leitos operacionais e 1.245 funcionários.

Já no AME Interlagos, referência ambulatorial na região, o contrato prevê a realização de 102.960 atendimentos ambulatoriais por ano entre as 20 especialidades médicas que a unidade oferece, 50.088 atendimentos não médicos, 1.620 cirurgias ambulatoriais e 6.576 diagnósticos em radiologia, endoscopia e especialidades.

(Com Agência Estado)