Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Pular por dois minutos todo os dias reduz risco de osteoporose

De acordo com novo estudo, idosos que realizaram exercícios com uma perna só diariamente tiveram aumento da densidade óssea -- uma melhora também capaz de prevenir fraturas no futuro

Por Da Redação - 14 set 2015, 18h24

Pular por dois minutos diariamente pode fortalecer os ossos do quadril de pessoas mais velhas, reduzir o risco de fratura após uma queda e diminuir a probabilidade de desenvolver osteoporose. É o que diz um estudo publicado na edição de setembro da revista científica Journal of Bone and Mineral Research e conduzido por pesquisadores da Universidade de Loughborough, na Grã-Bretanha.

Participaram da pesquisa 34 homens com idade entre 65 e 80 anos que, durante um ano, executaram um programa de exercícios distribuídos aleatoriamente que envolviam saltar em apenas uma perna. Os voluntários foram orientados a evitar quaisquer outras alterações em sua atividade física ou hábitos alimentares durante o período do estudo.

Os resultados mostraram que houve uma melhora de até 7% na densidade óssea da parte externa do osso e também na densidade da camada de osso esponjoso. De acordo com os pesquisadores, a melhoria mais importante foi o aumento de massa nas áreas mais finas do osso, que consequentemente correm maior risco de fratura após uma queda.

Leia também:

Publicidade

Segundo estudo, OMS subestima casos de osteoporose

Vitamina C também pode ajudar a prevenir osteoporose

Segundo os autores, estes resultados têm implicações importantes para a prevenção e tratamento da osteoporose, que afeta os idosos e está associada a um risco aumentado de fratura no quadril.

“As fraturas no quadril são um importante problema de saúde pública entre os idosos, gerando custos econômicos e sociais elevados. Os afetados sentem muita dor, perda de mobilidade e de independência, além do aumento do risco de morte. Nós sabemos que o exercício pode melhorar a resistência óssea e, por isso, queríamos testar um exercício fácil e rápido para as pessoas praticarem em suas casas”, disse Sarah Allison, uma das autoras do estudo.

Publicidade

Apesar dos resultados, os autores ressaltam que, como qualquer exercício, é preciso começar a pular devagar e com cautela, pois uma queda poderia causar uma fratura em alguém com ossos fracos.

(Da redação)

Publicidade