Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Covid-19: AstraZeneca avalia iniciar nova rodada de testes para a vacina

Decisão está ligada a recentes dúvidas levantadas acerca dos testes de eficácia que envolvem o imunizante

Por Mariana Rosário Atualizado em 26 nov 2020, 13h53 - Publicado em 26 nov 2020, 13h48

A farmacêutica AstraZeneca provavelmente conduzirá um estudo internacional extra para atestar a eficácia do imunizante para Covid-19 desenvolvido em parceria com a Universidade de Oxford.

A decisão está relacionada a descoberta ao longo da fase 3 de testes de que doses fracionadas do imunizante teriam mais eficácia do que a aplicação de duas doses completas (inicialmente previstas no estudo). Em entrevista à agência Bloomberg, o CEO da organização, Pascal Soriot, admitiu que os atuais estudos seriam uma maneira de “validar” a descoberta. Ele afirmou que a nova rodada de ensaios provavelmente se dará internacionalmente, mas que seria o processo seria “mais rápido” pois já é sabido que “a eficácia é alta” e portanto precisariam de um número menor de pacientes.

Nesta semana, a AstraZeneca esteve em reunião com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas não realizou o pedido de registro do imunizante. Fontes ligadas às negociações afirmaram à reportagem de VEJA que uma nova etapa de testes foi levantada como uma via possível para dar mais robustez ao estudo.

Nesta semana , a AstraZeneca divulgou que seu imunizante teria até 90% de eficácia quando ministrado em meia dose seguida de uma dose completa, diferente das duas doses iniciais previstas no estudo. A descoberta se deu por meio de um erro na dosagem o que levantou críticas na comunidade científica. Autoridades ligadas à area de vacina dos EUA afirmaram que a maior eficácia teria sido aferida justamente no grupo mais jovem de participantes, o que não foi explicado no anúncio inicial. A eficácia com a aplicação de duas doses completas foi de 62%.

Continua após a publicidade
Publicidade