Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Silas Malafaia ataca MP sobre proibição de cultos: ‘é só com a igreja?’

Na noite desta quinta-feira, está marcado um encontro com os fiéis no templo matriz, na Penha, cuja capacidade é para 6.580 pessoas

Por Cássio Bruno
Atualizado em 19 mar 2020, 19h13 - Publicado em 19 mar 2020, 17h33

Apesar das orientações de isolamento por conta do coronavírus, o pastor Silas Malafaia, um dos principais líderes evangélicos do país, afirmou a VEJA que vai continuar com os cultos em sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo, no Rio de Janeiro. Na noite desta quinta-feira, 19, está marcado um encontro com os fiéis no templo matriz, no bairro da Penha, na Zona Norte da capital, cuja capacidade é para 6.580 pessoas. Segundo o Ministério da Saúde, 621 casos do Covid-19 estão confirmados no Brasil. Até o momento, são sete mortos, sendo dois no estado fluminense.

“Quer dizer que a igreja é o problema? A lata de sardinha dos transportes não propaga? Se parar tudo, como vamos comer? Padaria, farmácia e supermercados também podem propagar o coronavírus. A igreja é o hospital social. O ânimo é o agente ativador do ser humano. A coisa mais importante para o ânimo é a fé. Não sou médico do corpo. Sou médico do psique”, argumenta o religioso.

Na tarde desta quinta-feira, o Ministério Público entrou com uma ação na Justiça para proibir que Silas Malafaia realize os cultos. A informação foi publicada pelo jornal “O Globo”. Em entrevista a VEJA, o pastor reagiu:

“O Ministério Público, agora, vai governar o estado? Porque nem o governador (Wilson Witzel) fez isso. E outra: é só com a minha igreja? Se for, é perseguição. Conheço inúmeras igrejas, milhares, que têm culto. Quero saber! Estão de brincadeira! Por que o Ministério Público não ingressa (com ação na Justiça) para reduzir o número de ônibus (nas ruas). Estou vendo todos os ônibus lotados. É só a igreja? Evidente que ordem judicial eu cumpro. Mas é só a igreja?”

Continua após a publicidade

De acordo com Silas Malafaia, os cultos em suas 70 igrejas espalhadas pelo estado só serão suspensos caso o governador Wilson Witzel determine oficialmente uma “redução drástica” no funcionamento do transporte público. Neste caso, segundo o pastor, as reuniões vão ocorrer via internet. “No culto de hoje, eu espero pelo menos dois mil fiéis”, afirma.

Na programação da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, no entanto, os cultos foram reduzidos. As orações continuarão apenas às terças e quintas-feiras e no domingo. As agendadas às segundas, quartas e sábados estão canceladas, por enquanto. “Eu não preciso abrir uma igreja para receber a oferta”, avisa.

No Twitter, Silas Malafaia divulgou um vídeo na tarde desta quinta-feira. O pastor citou trechos da Bíblia e pediu para os seus seguidores “não repassarem nada” sobre o coronavírus nas redes sociais. “Passem coisas boas”, apela. “O medo é um veneno. Terrível para destruir as defesas imunológicas. Minha gente, nesta hora, o pânico vai fazer você ficar sensível. Não existe remédio contra coronavírus. Então, as defesas do seu organismo têm que estar bem fortalecidas. Não passe pânico. Não tenha medo. Vamos declarar, em nome de Jesus, que todas as previsões das autoridades caiam por terra”, concluiu.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.