Clique e assine a partir de 9,90/mês

Como evitar as dores (do uso) dos tablets

Quem tem um tablet não se separa dele por nada. Em casa, no escritório, na praia, na sala de espera do consultório médico e na fila de embarque do aeroporto, os loucos por iPad passam horas sem desgrudar os olhos – e os dedos – da telinha interativa

Por Daniela Macedo e Gabriella Sandoval - 27 maio 2012, 10h24

Sentados, em pé ou deitados, eles querem ler notícias, livros e e-mails, atualizar-se nas redes sociais e assistir a filmes e vídeos. A versatilidade do equipamento, porém, pode ser a responsável por um incômodo relatado com frequência crescente por donos de tablets: as dores decorrentes do uso do aparelho em posição inadequada. “Após quarenta minutos de inclinação do pescoço, por exemplo, a musculatura da região cervical começa a sofrer um stress que pode ocasionar dores”, diz o médico fisiatra e ortopedista Carlos Alexandrino de Brito, coordenador da Escola de Postura da Rede Lucy Montoro, do Hospital das Clínicas de São Paulo. O problema é tão comum que já ganhou nome próprio: iPad Neck (“pescoço de iPad”). Tendinite, mal-estar e dor de cabeça também podem estar associados ao uso prolongado do equipamento. Carlos Brito e Flávio Faloppa, ortopedista vice-presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (Sbot), recomendam posturas adequadas para evitar que dores e outros desconfortos atrapalhem a diversão de quem não vive sem seu pequeno companheiro.

Publicidade