Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil tem 24 cidades sob risco de surto de dengue

Ao menos 24 cidades brasileiras estão sob risco de surto de dengue, de acordo com nota divulgada pelo Ministério da Saúde, nesta segunda-feira. O Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (Liraa) mostra que, dos 370 municípios monitorados, 24 têm risco de surto, o que significa que em mais de 4% das residências pesquisadas foram registradas larvas do mosquito. Entre as cidades com risco de surto estão duas capitais, Rio Branco (AC) e Porto Velho (RO).

Das cidades pesquisadas, 154 estão em situação de alerta. Em entre 1% e 3,9% das casas visitadas foram encontradas larvas do mosquito. Quatorze capitais estão nessa situação: Salvador (BA), Cuiabá (MT), Palmas (TO), Rio de Janeiro (RJ), Maceió (AL), Belém (PA), Recife (PE), Goiânia (GO), Aracaju (SE), Manaus (AM), Boa Vista (RR), Fortaleza (CE), Vitória (ES) e Natal (RN).

Dos 370 municípios visitados, 192 têm menos de 1% das casas com focos de larvas do Aedes aegypti, situação considerada satisfatória pelo Ministério da Saúde. Nessa classificação se encontram dez capitais: São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Macapá (AP), São Luís (MA), Teresina (PI), João Pessoa (PB), Campo Grande (MS), Porto Alegre (RS) e Florianópolis (SC).

O Liraa permite identificar onde estão concentrados os focos do mosquito em cada município, além de revelar quais os principais tipos de criadouros por região. O Ministério da Saúde afirma que os resultados reforçam a necessidade de intensificar imediatamente as ações de prevenção contra a dengue, em especial nos municípios em risco e em alerta.

Prevenção – Durante discurso em Brasília, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que a dengue é um problema que deve ser discutido com mais seriedade e que depende da conscientização da população. “Se eu mantenho a minha casa limpa para evitar o mosquito da dengue e meu vizinho não, posso pegar dengue. Cada cidadão precisa assumir a responsabilidade de cuidar da sua própria saúde e os governantes tem que ajudar com aquilo que é pertinente ao município”, disse.

“Dengue é uma questão de limpeza. É importante que cada governador e cada prefeito estimule um mutirão de limpeza enquanto ainda há tempo. Se não fizermos isso, vamos constatar apenas os números de mortes por região”, afirmou.

(com Luciana Marques e Agência Estado)