Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Anvisa aprova remédio para doença que afeta a coluna e outras articulações

Medicamento teve boas respostas para condição provoca dor, rigidez e restrição de mobilidade nas costas, quadris, grandes articulações, dedos das mãos e pés

Por Simone Blanes Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
7 fev 2024, 18h00

A espondilite anquilosante, doença que afeta a coluna e outras articulações terá uma nova alternativa de tratamento medicamentoso com a aprovação do citrato de tofacitinibe (XELJANZ®) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), nesta terça-feira, 6.

O remédio agora tem indicação para o tratamento da espondilite anquilosante (EA), doença inflamatória crônica, que provoca dor, rigidez e restrição de mobilidade nas costas, quadris, grandes articulações, dedos das mãos e pés e afeta mulheres e homens, entre 20 e 40 anos.

“A espondilite anquilosante é uma condição que impacta o dia a dia do paciente”, afirma Adriana Ribeiro, diretora médica da Pfizer Brasil, que fabrica o medicamento. “Ela pode restringir consideravelmente a mobilidade e provocar dor extenuante principalmente na região da coluna, o que impossibilita, por exemplo, que um pai pegue os filhos no colo e até mesmo a execução de simples atividades diárias”, explica.

Boas respostas

A Anvisa deu o aval após a análise de dados do estudo de fase 3, randomizado, duplo cego e placebo controlado, que demonstraram eficácia e segurança do uso de tofacitinibe para essa condição. A pesquisa envolveu 269 indivíduos que convivem com EA e que não responderam aos tratamentos convencionais, divididos em dois grupos: os que tomaram tofacitinibe 5mg duas vezes ao dia e os que receberam placebo.

Analisadas com base nas escalas da Assessment in Spondylo Arthritis International Society, usadas para mensurar benefícios e respostas ao tratamento da EA, o estudo concluiu que as pessoas que usaram o remédio tiveram resposta significativamente maior do que aqueles que receberam placebo – pela escala ASAS20, esses indivíduos tiveram 56,4% de resposta com uso da medicação, e pela ASAS40, 40,6% de respostas positivas ao remédio.

A saber, o tofacitinibe é o único inibidor oral de JAK quinases aprovado no Brasil para o tratamento da artrite reumatoide, artrite psoriásica e retocolite ulcerativa, doenças em que o sistema imunológico produz excesso de citocinas, substâncias inflamatórias que atacam os tecidos saudáveis do organismo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.