Clique e assine com até 92% de desconto

Saiba como votaram os deputados no processo de cassação de Cunha

Relatório do deputado Marcos Rogério, que recomendava a cassação do presidente afastado da Câmara, foi aprovado por 11 votos a 9 no Conselho de Ética da Casa

Por Marcela Mattos 14 jun 2016, 18h37

Dois deputados causaram surpresa durante a votação do pedido de cassação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente afastado da Câmara dos Deputados. Tia Eron (PRB-BA), que mantinha suspense sobre seu voto, acabou apoiando a perda de mandato de Cunha. Em duro pronunciamento, ela afirmou nesta terça-feira que seu partido não troca votos por cargos, que ninguém manda nela e que não poderia absolver o peemedebista. Saiu ovacionada.

Mas quem, de fato, provocou espanto foi o deputado Wladimir Costa (SD-PA), antes tido como voto certo pró-Eduardo Cunha. No início da sessão, ele chegou a defender o peemedebista e a dizer que ele não mentiu ao dizer que não tinha contas no exterior. No entanto, após Tia Eron proferir seu voto e diante de um resultado já definido, acabou dando mais um voto pela perda do mandato do presidente afastado. “Eu não quero frustrar meu partido ou quem quer que seja”, justificou.

A cassação do peemedebista foi aprovada por onze votos a nove. Veja como votaram os deputados:

Sim: Paulo Azi (DEM-BA), Tia Eron (PRB-BA), Betinho Gomes (PSDB-PE), Júlio Delgado (PSB-MG), Wladimir Costa (SD-PA), Nelson Marchezan Júnior (PSDB-RS), Léo de Brito (PT-AC), Sandro Alex (PSD-PR), Marcos Rogério (DEM-RO), Zé Geraldo (PT-PA), Valmir Prascidelli (PT-SP).

Não: Alberto Filho (PMDB-MA), André Fufuca (PP-MA), Mauro Lopes (PMDB-MG), Nelson Meurer (PP-PR), Sérgio Moraes (PTB-RS), João Bacelar (PR-BA), Laerte Bessa (PR-DF), Wellington Roberto (PR-PB) e Washington Reis (PMDB-RJ).

Continua após a publicidade
Publicidade