Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Por ampla maioria, Congresso mantém veto de Bolsonaro no Orçamento

Com os votos de 398 deputados, Legislativo sela acordo que divide ao meio montante de 30 bilhões de reais com o Executivo; senadores nem precisaram votar

Por Da Redação Atualizado em 4 mar 2020, 19h01 - Publicado em 4 mar 2020, 18h50

O Congresso Nacional manteve por ampla maioria dos votos o veto do presidente Jair Bolsonaro a trecho da Lei de Orçamentária Anual (LOA) que deixava nas mãos dos parlamentares a destinação de 31 bilhões de reais do Orçamento 2020. O veto foi mantido com o apoio de 398 deputados. Houve apenas dois votos contrários. Em razão disso, os senadores nem precisaram votar – a sessão é conjunta -, já que para derrubar o veto seria necessário maioria nas duas Casas.

A manutenção do veto ao chamado Orçamento impositivo foi possível após acordo entre os parlamentares – liderados pelo presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) – e o governo. Um dia antes, o presidente havia enviado três projetos de lei – publicados em edição extra do Diário oficial da União – que, somados, dividiam o montante: o Executivo fica com 15 bilhões de reais, enquanto o Parlamento dá destinação à outra metade, sendo 10 bilhões de reais para os deputados e 5 bilhões de reais para os senadores.

  • A aprovação desse trecho da LOA e o consequente veto de Bolsonaro abriram uma crise entre os dois Poderes, que subiu de tom quando o ministro general Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) foi flagrado, em áudio vazado, atacando o Congresso, acusando-o de tentar implantar uma espécie de “parlamentarismo branco” e chamou os apoiadores de Bolsonaro a irem às ruas em defesa do presidente e contra o Congresso. A manifestação continua sendo convocada para o dia 15 de março.

    Publicidade