Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

PF indicia ex-deputados e mais 27 na Lava Jato

André Vargas (ex-PT), Luiz Argôlo (SD) e o mensaleiro Pedro Corrêa (ex-PP) foram presos na 11ª fase da operação da Polícia Federal

Por Felipe Frazão 11 Maio 2015, 15h37

A Polícia Federal indiciou neste fim de semana os ex-deputados André Vargas (ex-PT), Luiz Argôlo (SD-BA) e Pedro Corrêa (PP-PE) por crimes investigados na 11ª fase da Operação Lava Jato. Ao todo, foram trinta indiciamentos em sete inquéritos diferentes, segundo a Polícia Federal.

Os inquéritos apuram os crimes de corrupção, fraude a licitações, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A PF enviou os relatórios finais com indiciamentos dos ex-parlamentares ao Ministério Público Federal. Além deles, a PF indiciou outras vinte e sete pessoas ligadas ao esquema de pagamento de propina, desvio de verbas e lavagem de dinheiro.

Lava Jato chega à Caixa e ao Ministério da Saúde

No núcleo criminoso de André Vargas, também são investigados Leon Vargas, irmão do ex-petista, e o publicitário Ricardo Hoffmann. Eles são suspeitos de montar um propinoduto para desviar dinheiro de empresas de publicidade contratadas pela Caixa Econômica Federal e o Ministério da Saúde.

Luiz Argôlo é investigado por lavagem de dinheiro em supostas sociedades de empresas com o doleiro Alberto Youssef. Elia Santos da Hora, ex-assessora do parlamentar que deixou o PP e se filiou ao Solidariedade, também figura entre os investigados.

Segundo a PF, o mensaleiro Pedro Corrêa agia em um esquema de recebimento de propina e lavagem de dinheiro auxiliado por Jonas Aurélio de Lima Leite e o ex-assessor do PP na Câmara Ivan Vernon Gomes Torres Júnior.

Continua após a publicidade
Publicidade