Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Antonio Palocci assina acordo de delação premiada com a PF, diz jornal

Negociação do ex-ministro com a força-tarefa da Lava Jato não teve sucesso; colaboração precisa, ainda, ser homologada pela Justiça

Após meses de negociação, o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci (PT) finalmente assinou um acordo de delação premiada, segundo o jornal O Globo. De acordo com a edição desta quinta-feira da publicação, Palocci já prestou os depoimentos e fechou o acordo com a Polícia Federal. Antes, ele tentou, sem sucesso, negociar com os procuradores da força-tarefa.

Uma das principais lideranças do PT, ele chefiou a pasta da Fazenda no primeiro governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a Casa Civil no primeiro ano do governo de Dilma Rousseff. Palocci também foi prefeito de Ribeirão Preto (SP) e deputado federal.

A expectativa é que ele traga novos detalhes sobre esquemas já conhecidos no âmbito da Operação Lava Jato e possa envolver outros nomes ainda desconhecidos das investigações, sobretudo no setor empresarial, no qual sempre foi um dos petistas com mais trânsito.

No ano passado, após quase um ano preso, o ex-ministro deu um depoimento duro sobre Lula ao juiz Sergio Moro, acusando o ex-presidente de ter feito um “pacto de sangue” para o recebimento de propinas da empreiteira Odebrecht. A fala provocou a suspensão da sua filiação partidária. Dias depois, Palocci pediu para deixar o partido.

“Não posso deixar de destacar o choque de ter visto Lula sucumbir ao pior da política”, escreveu à época. Em sua defesa, o ex-presidente Lula acusou seu ex-braço-direito de ter mentido com a finalidade de obter o que está agora mais próximo de conseguir: uma delação premiada que lhe garantisse benefícios judiciais.

O acordo de Antonio Palocci com a Polícia Federal ainda precisará ser homologado pela Justiça. Entre outras coisas, será analisado se o ex-petista apresentou os chamados “elementos de corroboração”, as provas das acusações. A responsabilidade pela decisão, se o Supremo Tribunal Federal (STF) ou o juiz Sergio Moro, dependerá da existência de autoridades com foro privilegiado e do nível de relação dos fatos narrados com as investigações da Lava Jato.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Quero ver como vão ficar os caras de pau Lewandowski, Gilmar Mendes e Tóffoli, quando Palocci contar que tudo o que Lula surrupiou tem a ver sim com a Petrobrás. Ao menos o que foi dito nessas audiências que vimos e ouvimos na TV, com os investigados, para o Juiz Moro, que trabalhou e muito, juntamente com a Polícia Federal, o MPF e a PGR. Aí vem esses três e não levam em consideração as provas já obtidas. Mas Deus é justo e vai ficar muito feio para os 3. Vergonhoso.

    Curtir

  2. AUGUSTO MARAJÓ

    De nada vale, se ninguém resolver delatar quem mandou matar Celso Daniel. Até agora, só balela.

    Curtir

  3. Manoel Venicio Jeronimo de Jesus

    ‘VJ3275

    Curtir

  4. Lohanna Machado

    Esse aí vai falar qualquer coisa que mantenha ele longe da cadeia ou faça redução de pena. Vai falar o que quiserem ouvir, mentira ou verdade.

    Curtir

  5. news da hora

    Já estava na hora de acatar as delações do Palocci , pois ele tem muito a contribuir com a lava jato .

    Curtir

  6. news da hora

    Os investigadores da Polícia Federal são bem preparados , e vão fazer o Palocci entregar mais provas dos crimes de Lula e seus petralhas .

    Curtir