Clique e assine com até 92% de desconto

‘Não tem a ver com meu governo’, diz Bolsonaro sobre ex-vice-líder

Presidente disse que acusação contra o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) não significa que haja corrupção no governo

Por Da Redação 15 out 2020, 21h38

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, na noite desta quinta-feira, 15, que lamenta o caso ocorrido com o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado com dinheiro vivo na cueca em Boa Vista, Roraima, na última quarta. O Chefe do Planalto tentou desvincular o senador do seu governo, mesmo com Rodrigues tendo ocupado o cargo de vice-líder no Senado.

Na sua tradicional live nas redes sociais, Bolsonaro disse que pessoas de má-fé querem culpar o governo: “Qualquer coisa que acontece, alguns de má-fé culpam o meu governo. Por exemplo, tivemos um problema agora em Roraima, em uma ação da Polícia Federal”. “Alguns querem dizer que o caso de Roraima é do meu governo, porque o senador é meu vice-líder. Temos 18 vice-líderes no Congresso, 15 na Câmara, indicados pelos líderes dos partidos, e três no Senado. Esse Senador de Roraima gozava do prestígio, do carinho de quase todos. Nunca vi ninguém falar nada contra ele. Lamento o caso ocorrido. Ele foi afastado da vice-liderança. Agora querem vincular com o governo não tem nada a ver”, completou.

O presidente criticou ainda aqueles que, para ele, tentam vinculá-lo ao caso do senador e agora ex-vice-líder de seu governo. “É o tempo todo tentando me vincular à corrupção. Pode ocorrer corrupção no meu governo? Pode. Vamos tomar providências. Esse caso não tem a ver com meu governo. Meu governo são ministros, estatais e bancos oficiais. Mas o que dói é você trabalhar igual a um desgraçado e alguns idiotas te acusarem de corrupção”, afirmou.

Bolsonaro também disse que “não há corrupção” no governo atual. Mas o chefe do Planalto explicou que, ao falar sobre “governo”, está incluindo apenas os ministros. “Quando eu falo ‘não tem corrupção no governo’, eu repito: não tem. O que é o governo? São meus ministros. Se tiver alguma irregularidade, vai ter investigação”, reiterou.

Continua após a publicidade
Publicidade