José Alencar recebe alta em São Paulo: ‘Aqui foi luta todo tempo’

Ao sair, Alencar vestia terno, estava caminhando, sorriu e acenou para as pessoas. Ele disse estar se sentido bem e "com o coração ótimo"

Por Agência Estado - 15 jul 2010, 16h12

Os médicos colocaram um stent na artéria principal do coração do vice-presidente, para desobstruí-la

O vice-presidente da República, José Alencar, deixou no início da tarde desta quinta-feira, 15, o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde esteve internado por oito dias, desde a quarta-feira da semana passada (dia 7). Ao sair, Alencar vestia terno, estava caminhando, sorriu e acenou para as pessoas. O vice-presidente disse estar se sentido bem e “com o coração ótimo”. “Aqui foi luta todo tempo”, afirmou, animado.

Os médicos colocaram um stent na artéria principal do coração do vice-presidente, para desobstruí-la. “A artéria estava obstruída em 72%. Isso foi um fator de complicação, porque eu estava vindo para fazer a minha quimioterapia de rotina”, disse Alencar, que se submete a um tratamento para combater tumores na região do abdome.

O vice-presidente disse que não precisará fazer alterações na alimentação após o problema no coração. “Eu já tenho mudado muito a alimentação, mas como muita gente fala da minha resistência, eu digo que pode ser por causa da minha (má) alimentação. Ovo frito e carne de porco não fazem mal. Antigamente, só havia gordura de porco e ninguém morria assim”, declarou. Alencar admitiu, entretanto, que só voltará a comer alimentos gordurosos de vez em quando.

Publicidade

O vice-presidente deve permanecer em São Paulo esta noite, no apartamento que tem na cidade, em companhia da mulher Marisa. Alencar disse que pretende voltar em breve ao trabalho, em Brasília. Ele já retomou o tratamento com quimioterapia e um coquetel de medicamentos contra o câncer.

Campanha eleitoral – O vice-presidente afirmou que na medida do possível ajudará na campanha da candidata do PT à presidência, Dilma Rousseff, pedindo votos para ela, especialmente em Minas Gerais. “Apoio Dilma não só pela amizade, mas porque sei de sua capacidade de discernimento, de seriedade e da dedicação dela”, disse.

Apesar da preferência por Dilma, o vice-presidente fez questão de elogiar os outros dois candidatos, José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV). Alencar classificou Serra como “um brasileiro de bem” e Marina, como “moça de valor”. “Portanto, eu desejo a eles, seja qual for o vencedor, que continuem a ser o que são”, afirmou.

Publicidade