Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ibama multa em R$ 70 mil barco de família de secretário da Pesca

A embarcação foi autuada no mesmo local onde Jair Bolsonaro foi multado em 2012 por pesca irregular, em Angra dos Reis

A família do secretário da Pesca, Jorge Seif Júnior, foi multada na semana passada em 70 mil reais, por causa de pesca ilegal em Angra dos Reis, no litoral sul do Rio de Janeiro. As multas aplicadas pelo Ibama flagraram a ação de uma embarcação de pesca industrial que pertence à empresa do pai do secretário, Jorge Seif. O barco foi autuado no mesmo local onde o presidente Jair Bolsonaro foi multado, em 2012, por pesca irregular.

Foram emitidas duas multas e uma notificação contra Sara Kischener Seif, madrasta do secretário da Pesca. Uma multa de 40 mil reais foi aplicada após os agentes do Ibama encontrarem 250 quilos de iscas vivas de peixes (sardinhas), espécie que está em época de defeso, ou seja, tem a sua pesca proibida por estar em período de reprodução.

Outra multa de 30 mil reais foi aplicada contra a embarcação Dona Ilva por problemas técnicos identificados no barco e que, segundo a fiscalização, impediam o seu rastreamento constante. A terceira autuação notificou Sara Seif para consertar os aparelhos de identificação.

A baía de Angra dos Reis é o local que Bolsonaro tem afirmado que transformará em uma “Cancún brasileira”. No fim do ano passado, quando já estava eleito, Bolsonaro teve sua multa ambiental anulada pelo Ibama. Em março deste ano, o fiscal que o multou foi exonerado do cargo.

A família do secretário atua com atividade pesqueira em Santa Catarina há mais de quarenta anos. Até dezembro passado, o secretário, que esteve presente ao lado de Bolsonaro em várias lives publicadas em redes sociais, era sócio dos negócios pesqueiros do pai. Por causa de conflitos de interesse apontados pela Comissão de Ética da Presidência, ele deixou os negócios para assumir o posto no governo.

A autuação contra a família Seif ocorreu na quinta-feira 25. O barco estava ancorado em Angra dos Reis e foi flagrado com o tanque cheio das iscas vivas que a tripulação pretendia usar para pescar atum na Região Sul do país.

Questionado, o secretário disse que não podia responder pelos atos da empresa de sua família. “Hoje eu sou governo. Em dezembro, assinei, no Conselho de Ética, o meu afastamento total das questões das empresas. Essas perguntas devem ser feitas ao meu pai, que toca as empresas e os barcos.”

O secretário, no entanto, disse que a responsabilidade pela pesca ilegal das sardinhas é do capitão do barco e sua tripulação. “Segundo a Marinha, a autoridade máxima da embarcação é o comandante, conhecido como mestre ou proeiro. A decisão de pescar ou não, de jogar rede ou não, de entrar numa área de proteção ou não, não é dos donos da embarcação.”

O empresário Jorge Seif, pai do secretário e dono da JM Seif Transportes, disse que não sabia onde o barco de sua empresa pescava e que vai demitir toda a tripulação quando chegar em terra. “É expressamente proibido fazer qualquer coisa errada, principalmente depois que meu filho foi eleito (sic) secretário da Pesca. Acontece que eu estou em casa dormindo, e eles estão no mar. E a autoridade máxima lá são eles”, afirmou.

No momento das autuações, o barco era liderado pelo capitão Jhon Lennon Teixeira Santos e mais seis tripulantes. Segundo o empresário, Jhon Lennon trabalha para sua empresa há dois meses. “Para facilitar a vida deles, cometem deslizes. O que eu vou fazer, quando chegarem em terra, é mandar as demissões de toda a tripulação. Todos serão demitidos.”

O empresário disse que vai pagar as multas pela pesca ilegal. “Como é que ele me vai pescar proibitivamente, sem minha autorização, e ele sabendo que eu sou pai do secretário da Pesca?”, disse. “Não tem defesa, ele está errado. O que vou fazer é ganhar tempo, nada mais. Vou ter de pagar”. A família já foi multada em diversas ocasiões. Em fevereiro, quando Seif Júnior já estava no cargo, o Ibama também autuou a família por pesca irregular.