Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Desembargador diz que inquérito do STF é ‘pré-medieval’

Em evento realizado no Rio de Janeiro, William Douglas criticou investigação feita pelo ministro Alexandre de Moraes

Por Hugo Marques Atualizado em 1 jul 2022, 10h35 - Publicado em 28 jun 2022, 20h27

A deputada Carla Zambelli (PL-SP) publicou um vídeo do desembargador federal William Douglas, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, no qual o magistrado trata como ‘inquérito do fim do mundo’ a investigação do Supremo Tribunal Federal que sobre ois chamados atos antidemocráticos. O vídeo teve grande repercussão entre os bolsonaristas.

“Parabéns ao Desembargador Federal William Douglas, do TRF-2, pela coragem de criticar ações recentes de ministros do STF, dentre elas, a que o próprio ex-ministro Marco Aurélio apelidou de ‘Inquérito do Fim do Mundo’, escreveu a deputada Zambelli.

No vídeo, o desembargador desfere críticas ao ministro Alexandre de Moraes, que conduz o inquérito que levou à prisão o deputado Daniel Silveira (PTB-RJ). O desembargador diz que no Brasil foi inventado um sistema jurídico pior que o inquisitorial.

O desembargador ressalta que é inaceitável  um sistema que tem na mesma pessoa a vítima, o acusador e o juiz, referindo-se a Alexandre de Moraes. “Isso é pré-medieval e poucos juízes nesse país tiveram a coragem de dizer ‘isso está errado’”, ressaltou William Douglas, fazendo referência à decisão Moraes instaurar o inquérito de ofício, mesmo sendo vítima e julgador do caso.

reprodução
Deputada postou vídeo do desembargador nas redes sociais – reprodução/Reprodução
Continua após a publicidade

“Daniel Silveira foi julgado, teve o seu processo relatado pela vítima. E uma multidão de covardes e omissos não falaram nada”, continuou o magistrado.

O magistrado elogiou a iniciativa do presidente Bolsonaro em conceder indulto ao deputado Daniel. “Quando o presidente da República, que pode se dizer o que quiser dele, mas é homem, é macho, tem coragem, mete a caneta, e corrige a injustiça através da graça, o que que eu faço? ‘Está certo’”, disse o desembargador. Segundo o TRF2, o vídeo foi gravado em evento realizado na Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro, no dia 9 de junho.

O desembargador enviou a seguinte nota:

Diante da matéria publicada na edição on line da Revista Veja, cabe esclarecer que William Douglas participou do evento científico e acadêmico, promovido pelo CCJF – Centro Cultural Justiça Federal e realizado na EMERJ – Escola de Magistratura do Rio de Janeiro, como professor de direito constitucional. Tratou-se de um julgamento simulado para alunos e operadores do Direito.

Importante destacar que a Constituição da República garante aos magistrados o pleno exercício do magistério, conforme disposto no artigo 95, parágrafo único. Aos professores, a Carta Magna prevê a liberdade de cátedra, artigo 206, e a todos os cidadãos a liberdade de expressão e de crítica, segundo o artigo 5º da CF. Por fim, a Lei Orgânica da Magistratura – LOMAN, afirma que o magistrado pode exercer o magistério (art. 36, III).

Portanto, a participação no evento foi somente na condição de professor e não como “Desembargador Federal”, conforme figura na matéria.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)