Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Defesa de ex-PRF vê boicote após material didático ser barrado em presídio

Silvinei Vasques, que está preso na Papuda, estuda para a segunda fase do exame da OAB. Livros, porém, foram represados na penitenciária

Por Marcela Mattos Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
5 dez 2023, 20h51

A defesa de Silvinei Vasques, ex-diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), acionou o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), nesta terça-feira, 5, cobrando a liberação de um material de estudos que está represado na Penitenciária da Papuda.

Silvinei está preso desde agosto no âmbito de um inquérito que apura se a PRF atuou de maneira deliberada para impedir o voto de eleitores de Lula no segundo turno das eleições do ano passado.

Em 30 de outubro, houve um inesperado aumento das blitze nas estradas, principalmente na região Nordeste, o que teria dificultado a chegada aos pontos de votação. O ex-PRF era um conhecido apoiador do então presidente Jair Bolsonaro.

Na prisão, Silvinei passou a estudar para o exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). No final de novembro, Moraes autorizou que ele deixasse a Papuda para fazer a primeira fase teste, na qual foi aprovado. Agora, ele se prepara para a segunda etapa, prevista para o final de janeiro.

Continua após a publicidade

De acordo com o advogado Marcelo Rodrigues, um material de estudos, composto por ao menos cinco livros, além de diversas canetas coloridas, foi entregue na Papuda na última sexta-feira, dia 1º. No entanto, contrariando a rotina da primeira fase, quando os livros foram entregues sem restrições, a direção do presídio elaborou um requerimento questionando a Vara de Execuções Penais (VEP) se o material poderia ou não chegar às mãos de Silvinei.

Ainda não houve uma resposta e, dessa maneira, os livros não foram liberados. Para a defesa de Silvinei, a medida é apenas protelatória e visa atrapalhar os estudos do ex-PRF. “Se o próprio Alexandre de Moraes já autorizou que ele fizesse a prova, como não é possível agora entrar com o material, se na 1ª fase houve a entrada sem menor restrição?”, indaga Marcelo Rodrigues.

Na Papuda, Silvinei Vasques já perdeu mais de 13 quilos, foi transferido para uma ala de vulneráveis e se transformou em  recordista de crimes imputados na CPMI do 8 de Janeiro. Ao todo, ele foi acusado pela senadora Eliziane Gama (PSD-MA) de cometer oito delitos, dentre os quais associação criminosa, prevaricação e impedimento do exercício do voto.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.