Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Projeções para 2022, o julgamento sobre segunda instância e a crise no PSL

Augusto Nunes, Dora Kramer e Ricardo Noblat comentam a pesquisa que traz projeções de como seriam as eleições presidenciais em 2022

A revista VEJA trouxe na edição desta semana um levantamento exclusivo com projeções de como seriam alguns cenários sobre as eleições presidenciais em 2022. O principal destaque é que o ex-presidente Lula ainda é o principal nome da esquerda contra Jair Bolsonaro. Na simulação, Lula perderia por 46% a 38%. Os dados mostram também que o atual presidente perderia para Sergio Moro e ganharia por pouco de Luciano Huck em um hipotético segundo turno.

Ricardo Noblat avalia que a possível libertação de Lula é o melhor dos cenários para Jair Bolsonaro. Com isso, o atual presidente poderá manter o seu discurso de ameaça esquerdista. Mas tudo depende de qual Lula sairá da cadeia, o paz e amor ou um mais disposto ao ataque.

Dora Kramer concorda que a saída do petista da cadeia é favorável a Jair Bolsonaro. Mas ela avalia que Lula ainda é o nome mais forte da esquerda simplesmente porque é o único nome da esquerda.

Augusto Nunes lembra que ainda é cedo para projetar as próximas eleições presidenciais. Ainda não é possível dizer que Lula será candidato, por exemplo. E isso mostra a ausência de opções do PT. O líder populista não criou um sucessor e parece não fazer questão de ganhar a eleição com outro nome que não seja o dele mesmo.

Os colunistas de VEJA também comentam o início do julgamento sobre prisões após segunda instância no STF e a crise interna no PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro.