Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Pelé relembra ‘defesa do século’ e se despede do amigo Gordon Banks

Brasileiro chamou o goleiro inglês de 'mágico' e disse que a defesa histórica na Copa de 1970 iniciou amizade entre eles

Por Da redação - Atualizado em 12 fev 2019, 13h35 - Publicado em 12 fev 2019, 13h34

Pelé se despediu do amigo Gordon Banks, que morreu na tarde desta terça-feira, 12, aos 81 anos, com uma homenagem ao ex-goleiro inglês em seu Facebook. “Você foi um goleiro mágico. Mas você foi muito mais. Você foi um incrível ser humano”, escreveu o rei, protagonista do lance mais memorável da carreira de Banks.

Na ocasião, o camisa 10 da seleção brasileira só não marcou um lindo gol de cabeça, na primeira fase da Copa de 1970, pois Banks voou com incrível reflexo e mandou a bola para escanteio. Nas redes sociais, Pelé contou que a jogada no estádio Jalisco, em Guadalajara, deu início a uma bonita amizade com o britânico.

“Para muitas pessoas, minha memória de Gordon Banks é definida pela feita pela Copa de 1970 e eu entendo o porquê. Foi uma das melhores defesas que vi e nas milhares de jogos que vi depois. Quando você é jogador, sabe exatamente como tem que bater na bola. Eu cabeceei ela exatamente onde queria e estava pronto para celebrar. Mas então esse homem, Banks, apareceu na minha visão, como uma espécie de fantasma azul”, escreveu Pelé.

Publicidade

“É dessa forma que descrevo. Ele apareceu do nada e fez algo que imaginei ser impossível. Ele defendeu meu cabeceio de forma incrível e eu não pude imaginar o que via. Mesmo hoje, quando revejo, não posso acreditar no quão rápido e longe ele se moveu. Marquei muitos gols na minha vida, mas quando me preguntam, sempre é sobre essa defesa”, continuou.

“Apesar de ser sido fenomenal, minha memória de Gordon não é definida por ela, mas sim pela amizade. Ele era um homem caridoso e bom, que deu muito às pessoas. Então sou feliz por ele ter defendido minha cabeçada, porque aquilo foi o começo da minha amizade com ele. Sempre que nos encontrávamos, era como se nunca tivéssemos ficado distantes. É com muita tristeza no meu coração que mando minha condolências para a família, de quem tinha tanto orgulho. Descanse em paz, meus amigos. Sim, você foi um goleiro mágico. Mas você foi muito mais. Você foi um incrível ser humano”, completou o melhor jogador do século XX.

Gordon Banks morreu nesta terça-feira, 12, vítima de um câncer no rim. O goleiro foi titular da Inglaterra no título mundial de 1966 e manteve-se no gol inglês na Copa de 1970, no México, em que brilhou fazendo a “defesa do século”, contra Pelé.

Publicidade

Goleiro Banks defende bola cabeceada por Pelé
Goleiro Banks defende bola cabeceada por Pelé veja.com/VEJA/VEJA
Publicidade