Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Terroristas exigiram US$ 132 mi para libertar jornalista decapitado

Segundo o 'NYT', o governo americano recusou-se a entregar a quantia ao EI

Por Da Redação 21 ago 2014, 15h41

No vídeo que mostra a decapitação do jornalista americano James Foley, um terrorista afirma que a execução é uma retaliação aos ataques aéreos do Exército americano contra o Estado Islâmico. Na verdade, até recentemente, o que os selvagens queriam mesmo era dinheiro. O grupo exigia o pagamento de 132,5 milhões de dólares (quase 300 milhões de reais) para libertar Foley. A informação tem como fonte familiares do jornalista, ex-reféns dos terroristas e também representantes de uma empresa para a qual o americano prestava serviços.

Os Estados Unidos – ao contrário de vários países europeus que já destinaram milhões ao terror, por meio de resgates pagos – recusou-se a pagar, informou o jornal The New York Times. Em reportagem publicada no final de julho, o NYT afirmou que governos europeus, mesmo negando oficialmente o pagamento de resgates, destinaram pelo menos 125 milhões de dólares (282 milhões de reais) para a libertação de reféns desde 2008, sendo que 66 milhões de dólares (149 milhões de reais) haviam sido entregues a grupos terroristas apenas em 2013. O texto destaca que o sequestro de cidadãos europeus tornou-se uma das principais fontes de recursos para a Al Qaeda e seus afiliados.

Leia também:

Em foto chocante, criança segura cabeça decapitada de sírio

Decapitações, crucificações, execuções: o horror imposto pelos jihadistas no Iraque e na Síria

O Estado Islâmico também usa o sequestro de cidadãos como arma para conseguir grandes quantias de dinheiro, apresentando um problema para o governo Barack Obama, uma vez que Foley não era o único americano mantido pelos terroristas. Pelo menos mais três estão com sua vida ameaçada. Um deles, o também jornalista Steven Sotloff, foi apresentado no mesmo vídeo em que Foley é executado como uma possível ‘próxima vítima’ da brutalidade do EI. “A vida deste cidadão americano, Obama, depende de sua próxima decisão”, diz o carrasco. O grupo mantém ainda cidadãos da Grã-Bretanha, que, assim como os Estados Unidos, nega-se a pagar resgates. Além de dinheiro, os terroristas pedem a troca de reféns por prisioneiros, incluindo Aafia Siddiqui, um neurocientista paquistanês treinado no MIT que tem ligações com a Al Qaeda e atualmente está preso no Texas, informou o jornal americano. (Continue lendo o texto)

Continua após a publicidade

Leia mais:

Combatentes curdos avançam contra jihadistas no Iraque

Berlim vai enviar material bélico aos curdos para frear jihadistas

Ontem, veio à tona a informação de que Exército americano fracassou em uma operação militar destinada a resgatar Foley e outros reféns na Síria. Segundo o Pentágono, a missão “não foi bem-sucedida porque os reféns não estavam no local”. Na última semana, os pais do jornalista receberam uma mensagem dizendo que ele seria morto. “A mensagem era ácida e carregada de ódio contra os Estados Unidos. Ela era seriamente mortal”, relatou Philip Balboni, presidente da GlobalPost, empresa para a qual Foley trabalhava.

Mapa Estado Islâmico do Iraque e do Levante
Mapa Estado Islâmico do Iraque e do Levante VEJA
Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês