Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tempestade Sandy causou prejuízo de US$ 42 bilhões a NY

Governador do estado afirmou que os danos às propriedades provocados pelo fenômeno natural foram piores do que os do furacão Katrina, em 2005

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, afirmou nesta segunda-feira que a tempestade Sandy provocou danos no valor de 42 bilhões de dólares ao estado. Cuomo anunciou que vai solicitar fundos de emergência federais para cobrir os prejuízos.

O governador destacou em uma coletiva de imprensa que o impacto do Sandy foi, em algumas medidas, pior do que o Katrina, que devastou a Costa do Golfo dos EUA em 2005. Apesar do número de mortos do Katrina, 1.833, ter sido muito maior que as 110 vítimas fatais do Sandy, os danos às propriedades e aos negócios foram piores dessa vez, comparou Cuomo.

Leia também: Após Sandy, prefeito de Nova York pede US$ 9,8 bi ao Congresso

Segundo Cuomo, o total de danos na região, somando os prejuízos no estado de Nova York e na vizinha Nova Jersey, chega a “61 bilhões de dólares” – número que deve aumentar ao incluir fundos extras para a prevenção. Apenas em NY, custo total do trabalho de recuperação passou a U$32,8 bilhões, com U$9,1 bilhões em despesas de prevenção. Pagar essa conta inviabilizaria o orçamento de Nova York, disse o governador.

Bloomberg – Mais cedo, o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, já havia pedido ao Congresso 9,8 bilhões de dólares para cobrir custos não segurados relativos à supertempestade na cidade. Bloomberg disse que os prejuízos públicos e privados foram estimados em U$ 19 bilhões. Para o prefeito, Nova York terá muitas dificuldades para se recuperar sem a ajuda federal.

Galeria de imagens: A passagem da tempestade Sandy pela costa leste americana

Destruição – A tempestade Sandy atingiu os Estados Unidos em 29 de outubro provocando mortes e destruição na costa leste. A força da chuva inundou o metrô, arruinou milhares de casas na região de Nova York e interrompeu a eletricidade em vários pontos da cidade durante dias, além de causar escassez de combustível.

(Com agência France-Presse)