Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tanques russos atacam base aérea ucraniana na Crimeia

Pelo menos seis blindados russos participam do ataque a base em Belbek

Tropas russas atacaram neste sábado com carros blindados uma base militar ucraniana na cidade de Belbek, na Crimeia, após ter dado um ultimato aos comandantes dessa unidade para que entregassem o quartel ou mudassem de lado no conflito.

Pelo menos seis blindados russos participam do ataque, durante o qual foram ouvidos disparos e pelo menos um jornalista ficou ferido, segundo várias fontes citadas pelo jornal ucraniano Ukrainskaya Pravda.

Manifestantes – Em outra cidade, Novofedorivka, no oeste da península da Crimeia, cerca de 200 manifestantes pró-russos invadiram uma base aérea ucraniana, onde hastearam a bandeira da Marinha russa.

A multidão, que aparentemente não tinha armas, entrou na base e quebrou janelas, enquanto os militares ucranianos se mantinham entrincheirados nos edifícios, jogando bombas de gás lacrimogêneo nos invasores.

Fora da base, oficiais russos observaram sem intervir.

Escalada da tensão – Ao longo da última semana, depois de o presidente russo Vladimir Putin assinar um documento anexando a Crimeia ao seu país, cresceu a pressão sobre os militares ucranianos para que deixem suas bases na região. Na quarta-feira, o governo interino da Ucrânia em Kiev afirmou estar planejando a retirada de todos os soldados e de suas famílias da península, sem, no entanto, mencionar uma data.

O chefe de segurança e defesa da Ucrânia, Andriy Parubiy, afirmou que o plano prevê uma transferência “rápida e eficiente” dos oficiais e de seus familiares para áreas controladas por Kiev. Ele disse também que a Ucrânia vai buscar apoio da ONU para transformar a Crimeia em uma zona desmilitarizada – iniciativa à qual a Rússia deve se opor veementemente.

O referendo que embasa a anexação da Crimeia à Rússia foi considerado ilegal por Estados Unidos e União Europeia, que implementaram sanções contra o regime de Moscou.

O governo russo reagiu. Na última quinta-feira, o vice-chanceler russo Serguei Riabkov disse que a Rússia responderá às ameaças com medidas que não deixarão os Estados Unidos “indiferentes”.

Um dia antes, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, havia afirmado que a incorporação da Crimeia à Rússia, incluindo o porto de Sebastopol, sede da Marinha da Ucrânia, será formalizada juridicamente nos próximos dias.