Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Série de ataques em Paris deixa mais de 140 mortos

Presidente francês, François Hollande, decreta estado de emergência e anuncia na TV o fechamento das fronteiras

Uma série de ataques em Paris na noite desta sexta-feira deixou mais de 140 mortos, de acordo com as autoridades francesas. Homens atiraram contra clientes de um bar, um grupo de terroristas invadiu uma boate durante um show de rock e explosões foram ouvidas nos arredores do estádio onde ocorria o jogo amistoso entre França e Alemanha. O jornal francês Le Monde afirma que, ao todo, foram sete ataques em toda a cidade.

Dois homens armados com fuzis AK-47 desceram de um carro e abriram fogo contra o bar Le Carillon, no 10º distrito, matando 11 pessoas, informou a polícia de Paris.

Em outro ataque próximo dali, no 11º distrito, um grupo de terroristas invadiu a boate Bataclan, onde acontecia o show da banda de rock Eagles of Death Metal. Os terroristas mantiveram reféns dentro da casa noturna por quase duas horas. Após a entrada da polícia, que matou três terroristas, as autoridades confirmaram a morte de mais de 100 reféns.

Uma testemunha que estava na boate no momento do ataque contou a uma rádio local que os terroristas gritavam palavras em árabe enquanto atiravam na multidão. Segundo o jovem, que assistia ao show com a mãe e conseguiu fugir do local, eles diziam “Allahu Akbar”, (‘Deus é grande’, em português).

Há relatos de um outro ataque, na área de Les Halles, no centro da capital francesa, ainda não confirmado. O jornal Le Monde contabiliza sete ataques em toda a cidade.

Stade de France – Explosões – dois ataques suicidas e uma bomba – foram ouvidas nos arredores do Stade de France, onde acontecia o amistoso entre França e Alemanha. Uma das explosões, na reta final do primeiro tempo, foi captada claramente pelos microfones da transmissão. Após o fim da partida, e com as notícias da série de ataques que acontecia na capital francesa, a torcida foi impedida de deixar o local pela polícia e algumas pessoas saíram das arquibancadas e passaram a aguardar no gramado do campo, aterrorizadas.

O presidente francês, François Hollande, que foi retirado às pressas do estádio de futebol onde era realizado amistoso, declarou estado de emergência no país, e as autoridades confirmaram que os ataques desta sexta-feira foram coordenados. Na TV, Hollande anunciou o fechamento das fronteiras. Mil e quinhentos soldados foram mandados às ruas de Paris. “É mais uma provação terrível que mais uma vez nos acomete. Sabemos quem são. Sabemos de onde vêm esses criminosos”, afirmou. “Nesses momentos muito difíceis temos de ter compaixão e solidariedade. Mas também unidade e sangue frio. Frente ao terror, a França deve ser grande, ser forte. As autoridades devem ser duras e chamar cada um à sua responsabilidade”, prosseguiu.

Brasileiros – Ao menos dois brasileiros ficaram feridos nos ataques terroristas ocorridos na França na noite desta sexta-feira. A informação foi repassada pelo Consulado do Brasil em Paris ao Itamaraty, em Brasília. O Itamaraty ainda não tem detalhes do estado de saúde e da identificação das vítimas. Também não há, até o momento, informações precisas sobre o local em que os brasileiros estavam e como foram atingidos.

Casa Branca – Em um breve pronunciamento na Casa Branca, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, classificou como um “ataque contra a humanidade” os atentados ocorridos na noite desta sexta-feira em Paris, na França. Obama afirmou que as autoridades americanas estão preparadas para auxiliar o governo francês. “Mais uma vez nós vimos uma tentativa ultrajante para aterrorizar civis inocentes”, afirmou a jornalistas em Washington.

Leia também:

Galeria de Imagens: Capital francesa vive noite de pânico com ataques

Governo: Presidente e premiê da França fazem reunião de urgência

Stade de France: Hollande deixa estádio às pressas após explosões

Paris: Hotel da seleção da Alemanha foi evacuado por ameaça de bomba

(Da redação)