Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Scotland Yard diz que Madeleine McCann pode estar viva

Menina desapareceu em 2007 em Portugal, onde o caso foi arquivado

Por Da Redação 25 abr 2012, 10h00

A polícia britânica afirmou nesta quarta-feira que existe uma “possibilidade” de que Madeleine McCann, a menina desaparecida em 2007 durante as férias em Portugal, esteja viva e pediu às autoridades deste país a reabertura do caso. A pequena Maddie desapareceu na noite de 3 de maio de 2007, poucos dias antes do aniversário de quatro anos, em seu quarto em um complexo turístico de Praia da Luz (Algarve, sul), onde seus pais a deixaram antes de jantar com um grupo de amigos a poucos metros de distância.

Leia também:

Leia também: Família McCann pede revisão do caso Madeleine a premiê

“Acreditamos sinceramente que existe uma possibilidade de que esteja viva”, afirmou Andy Redwood, da Divisão de Homicídios e Crimes Graves da Scotland Yard em um rápido encontro com a imprensa, durante o qual divulgou uma foto alterada por computador que mostra o provável aspecto da menina com quase nove anos.

Investigação – O caso foi investigado durante 14 meses e arquivado sem resultados em Portugal, mas os pais da menina, Gerry e Kate McCann, convencidos de que a filha foi sequestrada, pressionaram o governo britânico para que determinasse à polícia uma revisão dos diferentes elementos da investigação.

Continua após a publicidade

O inspetor Redwood afirmou nesta quarta-feira que, durante a revisão, foram detectadas 195 “oportunidades de investigação”, mas não quis revelar detalhes sobre as pistas. Ele limitou-se apenas a afirmar que algumas eram oculares. “Há informação realmente nova que estamos desenvolvendo”, disse. Segundo a polícia britânica, os colegas portugueses também desejam uma reabertura do caso, mas a decisão pertence à justiça do país.

A investigação da polícia portuguesa, com a colaboração de forças britânicas, não encontrou nenhum rastro de Maddie nem de um possível sequestrador em um primeiro momento. Os pais chegaram a ser apontados como culpados pelo crime, mas foram inocentados logo depois.

Tentativas –Em 2009, a polícia britânica voltou a fazer um apelo para encontrá-la, divulgando fotos com projeções da aparência que ela seria um pouco mais velha, para conseguir novas pistas sobre o paradeiro da menina – igualmente sem sucesso. A mãe de Madeleine chegou a escrever um livro sobre o desaparecimento da menina, lançado em maio de 2011, no qual conta que os últimos anos sem a menina foram um ‘pesadelo sem fim’.

No livro, cujas vendas foram destinadas a um fundo com o qual a família paga detetives particulares, Kate McCann também critica o modo como a polícia portuguesa conduziu a investigação. O ex-inspetor português responsável pela investigação considerada controversa também publicou um livro – que acabou sendo recolhido – em que afirmava que a menina estava morta e que seus pais poderiam ter escondido o seu corpo.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade

Publicidade