Clique e assine com até 92% de desconto

Quatro enigmas sobre a aparição de OVNIs nos Estados Unidos

Vídeos foram divulgados pelo Pentágono na segunda-feira 27

Por Da Redação Atualizado em 1 Maio 2020, 09h39 - Publicado em 30 abr 2020, 19h52

- Velocidade descomunal
Entre os três vídeos divulgados pelo Pentágono na segunda-feira 27, com objetos voadores não identificados, o mais antigo, de 2004 (foto) — os outros são de 2015 —, mostra uma espécie de disco transitando perto da costa americana. O piloto aposentado da Marinha David Fravor, que fez o avistamento, afirmou que o objeto se deslocava de forma irregular. “Quando me aproximei, ele acelerou numa velocidade descomunal. Foi como uma bola de pingue-pongue rebatendo numa parede”, disse.

- Origem desconhecida
O conteúdo das filmagens já circulava extraoficialmente havia anos, porém o fato de o Departamento de Defesa dos EUA admitir a autenticidade das imagens não significa, claro, que tenha reconhecido como extraterrestres os tais objetos voadores. O Pentágono se limitou a ratificar que aquilo que se vê nos vídeos “ainda é classificado como ‘não identificado’ ”. Entre as hipóteses estão fenômenos meteorológicos e drones militares de origem desconhecida.

- Investigações secretas
Em 2017 o The New York Times revelou que o governo americano fizera um projeto para “identificação de ameaças aeroespaciais avançadas”. Segundo o jornal, o programa, conduzido secretamente pelo Pentágono, consumiu 22 milhões de dólares entre 2007 e 2012. O bilionário do setor espacial Robert Bigelow, que trabalhou na iniciativa, contou que foram ouvidos militares que teriam visto aeronaves fora dos padrões e pessoas que alegaram reações físicas após a mesma experiência.

- Casos sem solução
Em 1947, a própria Força Aérea dos EUA já havia decidido se debruçar sobre mais de 12 000 supostas aparições de naves alienígenas. Concluiu que grande parte dos relatos se referia a estrelas, nuvens, aeronaves regulares e aviões de espionagem. As investigações foram encerradas em 1969, deixando 701 casos sem solução.

Publicado em VEJA de 6 de maio de 2020, edição nº 2685

Continua após a publicidade
Publicidade