Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Prefeita e governadores impõem quarentena na ‘Grande Washington’

Região metropolitana registra 51 mortes e 2.840 casos de coronavírus; infratores em Maryland estão sujeitos a multa de US$ 5.000 e prisão

Por Denise Chrispim Marin Atualizado em 30 mar 2020, 20h55 - Publicado em 30 mar 2020, 19h48

Mais do que pelas diretrizes do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, os moradores de Washington receberam ordem de quarentena da prefeita da capital americana, a democrata Muriel Bowser. A medida foi tomada em conjunto com os governadores de Maryland, Larry Hogan, e de Virgínia, Ralph Northam, os estados vizinhos que têm municípios considerados como parte da “Grande Washington”.

A região concentra mais de 14 milhões de habitantes, dos quais 440.000 são funcionários públicos federais, e já registrou 51 mortes e 2.840 casos de contaminação pelo coronavírus.

Nessa quarentena, os vizinhos de Trump estão proibidos de sair de suas casas, exceto para a compra de alimentos e remédios. Segundo o jornal The Washington Post, especialistas em saúde pública consideram que o pico de contaminações na região ainda vai demorar semanas, apesar das medidas já adotadas para reduzir a curva de infecções, como o fechamento de escolas e do comércio não essencial. O sistema hospitalar local estará repleto em breve, de acordo com os prognósticos.

De acordo com a prefeita Bowser, os moradores devem evitar sair de suas casas, a não ser para tarefas fundamentais. Os que infringirem a ordem estarão sujeitos a multas. O governador Hogan alertou, sem essa atitude, a região de Washington logo se pareceria a Nova York, o atual epicentro da epidemia nos Estados Unidos. “As autoridades de segurança vão repreender. Esta é uma crise de saúde pública mortal”, declarou Hogan, que estabeleceu multa de até 5.000 dólares e possível prisão por um ano para os infratores.

No domingo 29, alarmado pela rápida propagação do coronavírus pelos Estados Unidos, Trump voltou atrás em sua projeção de reabertura dos negócios e escolas até a Páscoa, em 12 de abril. Afirmou que as medidas restritivas devem se manter até 30 de abril. Até esta segunda-feira, o país registra 159.184 casos de contaminação, dos quais 66.497 no estado de Nova York, segundo o levantamento em tempo real da Johns Hopkins University, de Washington. Os Estados Unidos também confirmam 2.945 mortes pela Covid-19, a doença causada pelo coronavírus.

Continua após a publicidade
Publicidade