Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Político de oposição é assassinado a tiros na Tunísia

Brahmi, fundador do laico Partido Popular, era um severo crítico do governo

O político de oposição da Tunísia Mohamed Brahmi foi morto nesta quinta-feira em frente à sua casa, em Túnis, segundo um membro do seu Partido Popular, uma agremiação laica e nacionalista da qual foi fundador. Brahmi era um crítico contumaz do governo de orientação islâmica, e participava da assembleia que prepara uma nova Constituição para o país, berço da onda de rebeliões conhecida como Primavera Árabe, em 2011.

“Ele foi baleado na frente da sua casa, quando estava com sua filha deficiente”, disse o correligionário Mohamed Nabki à Reuters. A imprensa local afirma que ele levou 11 tiros. Os assassinos fugiram de moto.

Leia também:

Leia também: ‘Nossa Constituição será fruto do consenso entre islamistas e seculares’, diz presidente da Tunísia

O partido governista, Ennahda, expressou “choque e tristeza” com o assassinato, descrito como um crime “horrível e covarde”. O homicídio aconteceu no aniversário de 56 anos da independência tunisiana da França. O presidente francês, François Hollande, condenou o crime e pediu a união tunisiana durante sua transição democrática.

Este é o segundo assassinato de um oposicionista em 2013. Em fevereiro, o assassinato de outro político laico, Chokri Belaid, desencadeou a pior onda de violência na Tunísia desde a rebelião que derrubou o ditador Zine al-Abidine Ben Ali.

(Com agência Reuters)