Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Piloto russo que desertou para a Ucrânia é encontrado morto na Espanha

Maxim Kuzminov foi encontrado morto a tiros em cidade ao Sul da Espanha no dia 13 de fevereiro

Por Da Redação
Atualizado em 20 fev 2024, 15h52 - Publicado em 20 fev 2024, 15h09

Seis meses após desertar do exército da Rússia para a Ucrânia, o piloto militar russo que fugiu dramaticamente em seu helicóptero foi encontrado morto em uma garagem subterrânea na Espanha, informou a agência de notícias EFE nesta segunda-feira, 19. O corpo de Maxim Kuzminov foi encontrado no dia 13 de fevereiro na cidade de Villajoyosa, no sul do país, onde ele morava com um passaporte ucraniano e nome diferente. Segundo o jornal ucraniano Ukrainska Pravda, ele foi assassinado a tiros.

Relatórios da polícia espanhola indicam que o piloto russo levou 12 tiros de homens armados desconhecidos. Um carro queimado também foi encontrado próximo ao local do crime. O jornal espanhol La Informacion, o primeiro a noticiar o tiroteio na região, informou que os investigadores estão a procura de dois suspeitos que fugiram no veículo encontrado queimado posteriormente.

Inicialmente, a investigação apontou que o tiroteio estaria relacionado a gangues. No entanto, isso ocorreu antes da polícia descobrir a história da vítima.

Deserção para a Ucrânia

Nesta terça-feira, 20, o chefe da espionagem russa, Sergei Naryshkin, disse que o piloto morto era um “cadáver moral” por se opor à ofensiva militar da Rússia e desertar do exército.

Continua após a publicidade

“Este traidor e criminoso tornou-se um cadáver moral no exato momento em que planejou seu crime sujo e terrível”, afirmou Naryshkin.

Kuzminov cruzou a linha de frente da guerra em agosto passado, durante um voo com seu helicóptero Mi-8 entre duas bases aéreas russas. Na ocasião, ele devia transportar peças para aviões caça 27 e Su-30. Ao invés disso, ele pousou a aeronave em território ucraniano.

Os outros dois colegas pilotos que estavam com ele na ocasião foram mortos. O chefe do Serviço Ucraniano de Inteligência (GUR), Kyrylo Budanov, afirmou que seus oficiais persuadiram Kuzminov a desertar durante uma elaborada operação de seis meses. Antes disso, a família do militar foi retirada da Rússia, disse Budanov.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.