Clique e assine a partir de 9,90/mês

Parte desaparecida do Stonehenge é devolvida sessenta anos depois

Fragmento foi guardado como 'recordação' por inglês que participou de obras de restauração do monumento na Inglaterra em 1958

Por Da Redação - Atualizado em 8 Maio 2019, 11h54 - Publicado em 8 Maio 2019, 10h54

Uma parte desaparecida do famoso monumento Stonehenge, no sul da Inglaterra, foi devolvida sessenta anos depois.

Trata-se se um dos três fragmentos do núcleo da pedra pré-histórica que foram extraídos durante escavações arqueológicas realizadas em 1958. Desde que o trabalho foi realizado, não se sabia onde as partes haviam sido guardadas.

Recentemente, contudo, Robert Phillips, um inglês de 89 anos que participou das obras, decidiu devolver um dos fragmentos.

A parte tem apenas 108 centímetros e era um dos três pedaços extraídos por arqueólogos em 1958 para inserir barras de metal no núcleo das pedras, para garantir sua sustentação.

Continua após a publicidade

Os cientistas tiraram as pequenas partes e colocaram as hastes de metal em seu lugar. Os fragmentos retirados na obra, contudo, desapareceram após os trabalhos arqueológicos.

Parte do Stonehenge devolvida após 60 anos English Heritage/Reuters

Robert Phillips trabalhava na Van Moppes, uma empresa de corte de diamantes contratada para auxiliar nos reparos do monumento, e ficou com um dos pedaços como recordação.

Por sessenta anos, o aposentado que hoje vive na Flórida, guardou sua pedra do Stonehenge. Primeiro, ele conservou a peça em um tubo de plástico no seu escritório no Reino Unido e recentemente o armazenava na parede de sua casa nos Estados Unidos.

Na véspera de seu aniversário de 90 anos, contudo, Phillips decidiu devolver o fragmento histórico.

Continua após a publicidade

A pedra foi entregue à associação English Heritage, responsável pela manutenção do monumento, em maio do ano passado. A organização decidiu manter o fato em segredo até agora.

A English Heritage espera que a peça possa ajudar a descobrir mais sobre as origens do monumento neolítico. Os arqueólogos pretendem analisar a composição química da pedra nos próximos anos.

Obras de restauração do Stonehenge na Inglaterra em 1958 Fox Photos/Getty Images

O monumento

Construído há cerca de 5.000 anos, Stonehenge é um dos monumentos pré-históricos mais famosos do mundo. A cerca de 130 quilômetros de Londres, é composto por círculos de pedras de até 5 metros de altura e 50 toneladas cada uma.

A construção é considerada uma obra-prima da engenharia, pois não se sabe como as pedras foram movidas para sua posição atual sem o uso de tecnologia moderna há milhares de anos.

Continua após a publicidade

Segundo a tese mais atual, contudo, a obra foi feita em três fases, com aproximadamente 2.000 anos de distância entre elas.

Em um estudo publicado em abril na revista Nature, cientistas britânicos rastrearam o caminho que os povos que construíram o Stonehenge percorreram até chegarem à Grã-Bretanha.

A investigação indica que os britânicos neolíticos eram descendentes de povos que saíram da Anatólia (hoje a Turquia) por volta de 6000 a.C. Eles migraram para a Península Ibérica, onde ficam Espanha e Portugal atualmente. Do Mediterrâneo, seguiram para o norte – passaram pela França e chegaram à Grã-Bretanha por volta de 4000 a.C.

Publicidade