Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Palestinos libertados por Israel são recebidos por Abbas

Dezoito dos 26 prisioneiros libertados seguiram para a Cisjordânia, onde foram recebidos com festa pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina

Israel libertou 26 prisioneiros palestinos na madrugada desta terça-feira, como parte dos esforços para retomar as negociações de paz mediadas pelos Estados Unidos. Essa é a terceira de quatro fases de libertações que Israel se comprometeu a realizar. As duas primeiras aconteceram em 13 de agosto e 30 de outubro. No total, 104 detentos palestinos serão soltos.

Leia também:

Em resposta a morte de civil, Israel bombardeia Gaza

Acordo entre Israel e Palestina sai em abril, diz Kerry

Dos 26 prisioneiros libertados nesta terça, cinco seguiram para Jerusalém Oriental, três para a Faixa de Gaza e a maioria deles, dezoito, foram encaminhados para a Cisjordânia em dois furgões. Ao chegar a Ramallah, eles foram recebidos pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas. Em um ambiente festivo, o político abraçou um a um os ex-prisioneiros e prometeu não negociar a paz com Israel até o retorno de todos os presos palestinos. Pouco depois, o grupo se dirigiu ao mausoléu que abriga os restos mortais de Yasser Arafat, para depositar uma coroa de flores no túmulo do ex-dirigente.

Os palestinos soltos estavam presos desde antes dos acordos de Oslo, assinados em 1993, e cumpriram penas de 19 a 28 anos, segundo o governo israelense. A libertação ocorre às vésperas da visita do secretário americano de Estado, John Kerry, que chegará no dia 1º de janeiro a Jerusalém para se reunir com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

Posteriormente, Kerry viajará a Ramallah para conversar com Abbas. Kerry tenta conciliar as posições de israelenses e palestinos para um “acordo básico” que defina as linhas gerais de um tratado final no prazo fixado, até 29 de abril.

(Com agências EFE e France-Presse)