Clique e assine com até 92% de desconto

Obama envia autoridades federais para ajudar em investigação do ataque em Orlando

O atirador Omar Saddiqui Mateen deixou 50 pessoas mortas e 53 feridos em uma boate na cidade de Orlando, na Flórida

Por Da Redação 12 jun 2016, 12h00

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, determinou que o governo federal forneça toda a assistência necessária a autoridades locais de Orlando, na Flórida, onde um homem armado matou pelo menos cinquenta pessoas em uma boate. O episódio, que aconteceu na madrugada de sábado para domingo, é o pior tiroteio em massa da história do país. Obama foi informado sobre o ocorrido por Lisa Monaco, assistente do líder americano para Segurança Interna e Contraterrorismo, divulgou a Casa Branca em um comunicado. “O presidente pediu para receber atualizações regularmente sobre o trabalho do FBI e de outras autoridades federais com a polícia de Orlando”, informou a nota oficial.

De acordo com Obama, o governo federal deve oferecer ajuda à comunidade local e cooperar nas investigações. “Nossos pensamentos e orações estão com as famílias e os entes queridos das vítimas”, afirmou o comunicado.

Leia mais:

Atirador ataca boate gay nos EUA e mata 50 pessoas

O tiroteio, que começou por volta das 2 horas da manhã no horário local (6 horas, em Brasília), está sendo investigado como um ato com possível “motivação ideológica”, afirmou a polícia. O responsável pelo ataque foi identificado Omar Saddiqui Mateen, de 29 anos, cidadão americano de origem afegã. O homem levava um fuzil e uma pistola e foi morto na casa noturna em um enfrentamento com agentes da SWAT, o departamento de operações especiais americano.

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade