Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Novo relatório afirma que atirador de Oslo não é ‘insano’

Equipe de psiquiatras que monitora Anders Breivik contradiz avaliação anterior

Um time de psiquiatras noruegueses que monitora Anders Bahering Breivik na prisão não encontrou envidências de que o autor do massacre que deixou 77 mortos no dia 22 de julho na Noruega possua distúrbios psicóticos. O parecer dos especialistas contraria um relatório de psiquiatras apontados pela Justiça norueguesa, que asseguraram no último mês de novembro que Breivik sofria de “esquizofrenia paranoica” – o diagnóstico poderia livrá-lo da prisão.

Entenda o caso

  1. • No dia 22 de julho, dois ataques coordenados espalham pânico pela capital norueguesa, Oslo, deixando 77 mortos.
  2. • No primeiro, um carro-bomba explodiu no distrito governamental atingindo a sede do governo e matando oito pessoas.
  3. • Pouco tempo depois, um homem invade a ilha de Utoya e atira a esmo contra um acampamento da juventude social-democrata, matando 69 pessoas.
  4. • O norueguês ultradireitista Anders Behring Breivik, de 32 anos, é preso e assume a autoria dos atentados.

Leia mais no Tema ‘Terror em Oslo’

Formada por quatro psiquiatras, a equipe que acompanha o extremista norueguês na cadeia submeteu seu relatório ao promotor público Sveid Holden, que cuida do caso. No documento, os especialistas explicam que não acreditam que Breivik seja psicótico ou esquizofrênico, tampouco possa cometer suicídio.

De acordo com a rede britânica BBC, a Justiça norueguesa deve decidir nas próximas semanas se submete o atirador de Oslo, como Breivik ficou conhecido, a uma nova avaliação psiquiátrica. Um advogado que representa as famílias de três vítimas dos ataques declarou que a corte que julgará o norueguês está diante de uma “controvérsia científica” e precisa rever o primeiro relatório sobre a saúde mental dele.

“(O novo parecer) indica que existe uma controvérsia científica considerável e a necessidade de mais investigações, é óbvio”, comentou John Arild Aasen. “O maior medo (dos parentes das vítimas) é que ele esteja nas ruas dentro de poucos anos”.

A defesa de Breivik condenou a proposta de novos exames psiquiátricos. “Já existe uma avaliação médica forense muito detalhada sobre o acusado”, declarou em um comunicado Vibeke Hein Baera, advogado do extremista de direita.