Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Naufrágio em Bangladesh deixa 32 mortos e dezenas de desaparecidos

Por Por Kamrul HASAN KHAN 13 mar 2012, 11h28

Pelo menos 32 passageiros morreram e dezenas continuam desaparecidos após o naufrágio em Bangladesh de uma balsa, que colidiu nesta terça-feira com uma embarcação de petróleo.

A embarcação transportava cerca de 200 passageiros, mas apenas 35 sobreviventes foram encontrados até o momento.

A balsa “Shariatpur” foi atingida por outro navio no rio Meghna às 2H30 locais ao sudeste da capital de Bangladesh, Daca.

“Os mergulhadores retiraram do interior da balsa os corpos de 32 pessoas, entre eles os de cinco mulheres e duas crianças”, declarou à AFP por telefone o chefe da polícia local, Tariqul Islam.

Os 35 passageiros salvos foram socorridos por uma outra balsa.

De acordo com Mahbubul Alam, diretor da Autoridade Governamental de Transporte Fluvial (IWTA), a balsa, construída em 1991, afundou imediatamente depois da colisão.

“Nós falamos com um sobrevivente. Ele nos contou que a balsa afundou poucos minutos depois de se chocar, sem dar tempo dos passageiros nadar”, explicou, informando que uma investigação já foi ordenada.

As operações de resgate ficaram mais lentas durante o dia devido às tentativas de reborcar a balsa.

Continua após a publicidade

“Isto vai levar horas, porque a balsa está em uma profundidade grande e carregada de mercadorias”, reconheceu o coordenador das operações, o comandante Gulzar Hossain.

“A barca está virada e muitas vítimas podem estar em seu interior”, disse.

Uma sobrevivente, Rina Begum, contou que “no momento em que a balsa começou a afundar com um barulho enorme, nós acordamos. Todo mundo gritava”.

“Eu pulei pela janela, mas o meu marido não conseguiu. Eu fui salva por um barco uma hora e meia depois. Eu tenho 15 parentes que ainda estão desaparecidos, nós estávamos indo para um casamento”, contou à AFP.

Outros sobreviventes relataram que a balsa estava lotada e que transportava dezenas de sacos de pimenta.

Os acidentes com barcos causados pelo desrespeito das normas de segurança e sobrecargas são frequentes em Bangladesh, um país cortado por 230 rios. Milhões de pessoas dependem do rio ou do mar de navegação no país, um dos mais pobres do mundo.

Em abril de 2011, 32 pessoas, a maioria mulheres e crianças, morreram no naufrágio de uma balsa em um rio no leste do país. O navio bateu em um cargueiro que afundara alguns dias antes.

Segundo autoridades fluviais, mais de 95% da frota de pequenos barcos e de tamanho médio não cumprem com as normas mínimas de segurança.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)